1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Paulo Rink troca o Bayer Leverkusen pelo Nürnberg

Centroavante teuto-brasileiro deixa o líder do Campeonato Alemão porque "quer jogar" e voltar a ter chance de ser convocado para a Seleção Alemã.

default

Jogador aceitou desafio para buscar vaga na seleção de Völler

O atacante brasileiro Paulo Rink, que já jogou pela Seleção Alemã porque possui dupla nacionalidade, assinou nesta segunda-feira contrato de seis meses com o FC Nürnberg, da Baviera. O time do sul da Alemanha pagou 500 mil marcos (250 mil dólares) pelo passe do jogador.

O atleta acredita que lá vai poder jogar e mostrar seu potencial. "Falei com o treinador da seleção (Rudi Völler) e ele me disse que tenho chance de ser convocado outra vez, só preciso jogar", observa Rink.

Apesar de estar trocando o líder do campeonato, que participa da Liga dos Campeões, por um dos últimos colocados da Bundesliga, Rink acredita que só agora vai ter chance de jogar. "Não adianta estar num grande time e ficar na reserva. Não vai ser uma tarefa fácil, será árdua, mas eles (Nürnberg) vão me proporcionar uma oportunidade muito boa", ressalta o brasileiro. " A equipe está precisando de reforços para não cair e devo entrar como titular", concluiu.

A estréia do brasileiro em seu novo clube será no próximo domingo, contra o tricampeão Bayern de Munique. O duelo bávaro é só a primeira de uma seqüência de partidas difíceis do Nürnberg, que enfrenta na rodada seguinte o Schalke. "Vai ser uma pedreira atrás da outra, mas confio no meu potencial e eu precisava voltar a jogar", finaliza o atacante.

Retorno ao Brasil - Paulo Rink descarta por enquanto seu retorno a uma equipe brasileira. Segundo o atacante, o mercado no Brasil está muito difícil para jogadores como ele conseguirem a mesma posição financeira que atingiram na Europa.

"Nos próximos três ou quatro anos devo ficar por aqui, mesmo porque seria complicado alcançar o mesmo nível salarial", salienta. No próximo ano, Rink ganha passe livre, o que vai possibilitar uma maior agilidade na sua carreira. "Não aconteceria o que aconteceu neste ano, não ficaria parado no Bayer, por exemplo", afirmou ele.