1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Patrocinadores dominam torneios da Fifa

Copa das Confederações é um ensaio geral também para os patrocinadores exclusivos da Fifa. Torcedores irritam-se com comercialização e esquema de segurança do torneio.

default

Protesto de torcedores em Frankfurt: 'paixão pelo futebol não é crime'

Depois da vitória apertada da Alemanha sobre a Austrália (4 a 3), na abertura da Copa das Confederações (15/06), o locutor do estádio anunciou que Ballack foi eleito "Anheuser Busch player of the match" (melhor jogador em campo). A torcida reagiu com uma sonora vaia, que poderia ser ouvida na sede da Fifa em Zurique, não só porque Ballack jogou mal (à exceção da cobrança de um pênalti).

É que os destaques do jogo, na opinião dos comentaristas esportivos e, pelo jeito, também da torcida, tinham sido outros: o zagueiro alemão Mertesacker e o atacante australiano Aloisi, que marcou dois gols. O problema é que destes dois, provavelmente, os executivos de empresas norte-americanas aliadas à Fifa nunca ouviram falar. O meia Ballack, afinal, é garoto de propaganda da McDonalds e da Coca-Cola.

Os "reis na terra da Fifa"

Este é apenas um exemplo de que os torneios da Fifa são dominados pelos patrocinadores oficiais. Cada um dos 15 parceiros da entidade máxima do futebol pagou a bagatela de 45 milhões de euros pela publicidade exclusiva, em seu respectivo setor de negócios, nos torneios da Fifa até a Copa 2006, incluindo a Copa das Confederações.

O carnaval de marcas que desfila pelos estádios corre o risco de se tornar ridículo. Ballack ganhou uma medalha de ouro da cervejaria Anheuser Busch, "por seu desempenho extraordinário". Nos torneios da Fifa, os estádios alemães são obrigados a renunciar aos seus nomes atuais: o Commerzbank Arena de Frankfurt volta a se chamar Waldstadion; a AWD Arena de Hannover vira estádio de Hannover, o RheinEnergieStadion vira estádio de Colônia. É que os patrocinadores da Bundesliga e da Fifa não são os mesmos.

Salsicha alemã? Pode esquecer. Quem vai aos estádios, pode se preparar para o fast food norte-americano. A McDonalds é responsável pela alimentação em Colônia, Frankfurt, Hannover, Leipzig, e Nurembergue. Os player escorts, meninos que entram no gramado de mãos dadas com os jogadores, por mera coincidência, trajam camisetas da McDonalds.

Confederations Cup: Deutschland - Tunesien 3:0 Panorama

Onipresença dos patrocinadores nos estádios

Até mesmo a moeda usada pelos árbitros para o coin escort (sorteio dos lados em que as seleções começam jogando), tem patrocinador: a Bonaqua, uma empresa do grupo Coca-Cola. Já há quem diga que, em vez de almofadas para as cadeiras cativas, seria melhor distribuir dicionários de inglês.

A Fifa como anfitriã na Alemanha

Não foi por acaso que o presidente da Fifa, Joseph Blatter, foi vaiado na abertura da Copa das Confederações em Frankfurt. Muitos torcedores estão irritados com a comercialização do futebol e o rigoroso esquema de segurança do torneio.

Blatter reagiu com espírito esportivo aos assobios ("Pensei estar aqui como convidado entre amigos"). Na verdade, a Fifa não está na Alemanha apenas como convidada. Ela é anfitriã. Vários locais em Frankfurt são "território da Fifa, território de Blatter". O acesso da imprensa aos treinos nos estádios da Copa restringe-se a quinze minutos. Durante a Copa das Confederações, cada seleção precisa realizar apenas um treino sob o olhar do público. Os jornalistas já experimentam este ano as restrições que lhes esperam no ano que vem.

Torcedores não são criminosos

Para os organizadores da Copa 2006, o ensaio geral corre conforme planejado também no que diz respeito à segurança, com ingressos personalizados e forte vigilância policial. "Quem urina na rua [por ter bebido cerveja Anheuser Busch demais antes do jogo?], é barrado na entrada do estádio", conta o torcedor Stefan Hebenstreit, de Frankfurt.

Pode ser que Hebenstreit esteja exagerando, mas uma coisa é inegável: muitos torcedores vêem no esquema de segurança sinais de neurose dos organizadores da Copa. Antes da partida Alemanha x Austrália, 1500 fãs fizeram uma passeata em Frankfurt, trajando camisetas com protestos bem sonoros: "WM 2006: Die Welt zu Gast – fühl Dich im Knast" (Copa 2006: o mundo como convidado – sinta-te na cadeia) ou "Fussballfans sind keine Verbrecher" (Torcedores não criminosos).

Leia mais