Patrocinadores apostam no apelo comercial do futebol feminino | Fique informado sobre tudo o que acontece na Copa do Mundo | DW | 27.06.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Patrocinadores apostam no apelo comercial do futebol feminino

Lucros gerados com o Mundial feminino na Alemanha não devem superar os da Copa de 2006. No entanto, estrategistas de mercado afirmam que ser parceiro do campeonato feminino é positivo para a imagem das empresas.

default

Copa feminina tem menor escala do que o Mundial masculino

Há cinco anos, centenas de milhares de torcedores do futebol de todos os cantos do planeta desembarcaram na Alemanha para acompanhar de perto a Copa do Mundo masculina de 2006.

Os alemães ainda trazem na memória o clima de festa e alegria que tomou conta do país enquanto a bola rolava nos gramados. É grande a expectativa de que a festa da alegria se repita também no Mundial feminino que está acontecendo na Alemanha, mas não no campo dos negócios.

O economista Henning Vöpel, diretor da área de pesquisa Esporte e Economia no Instituto Internacional de Economia de Hamburgo, acredita que o volume de negócios no Mundial feminino será menor que o de 2006, no campeonato masculino.

"A copa feminina acontece em uma dimensão menor, com isso o impacto na economia também deverá ser reduzido. Quase ninguém deverá alterar seus hábitos de consumo. As férias de verão [na Europa] devem começar na normalidade de sempre. Bem diferente do que aconteceu no Mundial masculino", avalia Vöpel.

Segundo ele, mesmo com a Copa de 2006, a economia alemã não sofreu grandes impactos – houve uma ligeira queda no número de desempregados, "mas isso não se manteve por muito tempo".

FIFA-Frauenfussball WM 2011 Julia Simic

O futebol feminino tem uma imagem simpática junto ao público

Se o número de visitantes na Copa de Futebol Feminino é bem menor do que o de cinco anos atrás, não se deve subestimar, porém, o significado do campeonato para os patrocinadores.

O Mundial feminino é considerado uma excelente plataforma de marketing. Os grandes patrocinadores, que fazem questão de se divulgarem como 'Parceiros oficiais', acabam faturando um espaço precioso na mídia. "Isso é o que a Copa feminina oferece: o alcance, o acesso aos seus consumidores", explica Vöpel.

Imagens associadas

A Copa feminina tem um bom apelo comercial, de associação da imagem. O pesquisador de Hamburgo usa como exemplo o futebol feminino e a companhia aérea: "Algumas características [da empresa aérea] são associadas ao esporte – o dinamismo, a juventude e o caráter internacional. Estas são características que se encaixam bem a uma companhia aérea e com as quais ela gostaria de ser associada", diz Vöpel.

"Para nós, a parceria com a Federação Alemã de Futebol é bastante interessante. A modalidade tem um grande número de adeptas na Alemanha, e também fora do país. Por isso também queremos estar presentes nesse meio", explica Boris Ogursky, porta-voz da Lufthansa.

Lufthansa schreibt rote Zahlen

Lufthansa afirma ser positivo associar sua imagem à da Copa

Ele ressalta que o sucesso do futebol da Alemanha é garantia de grande atenção internacional para a empresa patrocinadora. "Se a seleção alemã de futebol, seja a masculina ou a feminina, começa a ganhar, todo o país fica de olho na competição", afirma Ogursky.

Neste Mundial, a Lufthansa não pretende oferecer voos extras. Segundo o planejamento inicial, os voos disponíveis serão suficientes para transportar todos os torcedores que quiserem assistir aos jogos na Alemanha.

A companhia também não conta com grande aumento dos lucros por conta da movimentação com os jogos. "Mas provavelmente teremos passageiros adicionais em nossos voos", acredita o porta-voz.

Menor porte

Vöpel está convencido de que vale a pena investir em uma competição como a Copa feminina. "É só pensar que as seleções dos Estados Unidos, da China e do Brasil, principais mercados para as companhias aéreas atualmente, participam do Mundial este ano. E nestes países o futebol tem importância", avalia o economista.

Os jogos da Copa de 2006 aconteceram nos maiores estádios alemães, localizados em grandes cidades do país, como Munique, Dortmund, Berlim, Hamburgo e Gelsenkirchen. Já os torcedores que acompanharem as partidas da Copa feminina vão conhecer cidades menores, como Augsburg, Leverkusen e Sinsheim, isso prova, segundo Vöpel, que a dimensão desta Copa foi bem planejada.

"Os locais dos jogos não serão muito grandes, mas sim de porte médio", por isso o contribuinte alemão provavelmente não precisará compensar qualquer déficit nas contas, termina o economista.

Autor: Dirk Kaufmann (ms)
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais