Partido quer proibir uso do Twitter em sessões do Parlamento alemão | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 29.05.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Partido quer proibir uso do Twitter em sessões do Parlamento alemão

Conselho parlamentar alemão debateu divulgação antecipada de resultado eleitoral através da rede social da internet Twitter. Partido Social Democrata (SPD) quer proibir seu uso em sessões fechadas da bancada.

default

Reeleição de Köhler foi acompanhada de panes

O assim chamado "Twittergate" foi debatido, nesta quinta-feira (28/05) em Berlim, pelo conselho que coordena os trâmites na câmara baixa do Parlamento alemão (Bundestag). Por ocasião da eleição presidencial, no último sábado (23/05), deputados divulgaram, através da rede social da internet Twitter, o resultado eleitoral antes de seu anúncio oficial.

A deputada democrata-cristã Julia Klöckner, que participava da comissão de contagem de votos, anunciou no Twitter o resultado da eleição 15 minutos antes de ele ser divulgado oficialmente. Na segunda-feira, Klöckner desculpou-se pelo ocorrido e declarou que não mais ocuparia o cargo de secretária parlamentar.

Antes de Klöckner, o vice-chefe da bancada social-democrata no Bundestag, Ulrich Kleber, chegara mesmo a divulgar através do Twitter o número de votos que levou à reeleição do atual presidente alemão, Horst Köhler.

Fato "irritante"

Screenshot Twitter Logo Bitte auch als Screenshot präsentieren

Logomarca da rede social polêmica

Além dos anúncios antecipados, a reeleição de Köhler foi acompanhada de outros incidentes, como a entrega prematura de flores e a entrada de um quinteto de sopros no plenário antes do anúncio oficial da eleição.

Perante o grupo de deputados com grande experiência no Bundestag que debateu o tema em Berlim – apelidado de "Conselho dos Anciãos" –, o presidente da câmara baixa do Parlamento alemão, deputado democrata-cristão Norbert Lammert, assumiu a responsabilidade pelo ocorrido.

O conselho parlamentar optou, no entanto, por não advertir Lammert. A deputada do Partido Verde Irmingard Schewe-Gerigk, que faz parte do conselho, afirmou, todavia, que o fato foi "irritante" e que se deve garantir que tais incidentes não se repitam.

Proibição para sessões fechadas

Em consequência do "Twittergate", o chefe da bancada do Partido Social Democrata (SPD), Peter Struck, criticou duramente o procedimento do deputado de seu partido, Ulrich Kleber, de anunciar prematuramente o resultado eleitoral na rede social da internet.

Além disso, o fato de alguns deputados do Partido Social Democrata (SPD) haverem publicado discussões internas da sessão da bancada partidária em seu canal pessoal do Twitter, na última terça-feira, fez com que o SPD pretenda agora proibir o uso dessa rede social por seus deputados durante sessões fechadas da bancada.

O coordenador da bancada social-democrata no Bundestag, Thomas Oppermann, declarou ao site Bild.de, nesta quinta-feira, que tal prática deverá ser evitada no futuro. Ele antecipou que o mecanismo de tal proibição será agora debatido.

O que é Twitter?

Da mesma forma que outras redes sociais na internet, como Orkut ou Facebook, o Twitter permite ao usuário criar uma conta e adicionar amigos, que passam então a receber as mensagens enviadas pelo usuário e vice-versa.

Segundo o site do serviço, ele se dirige a pessoas que queiram se comunicar e ficar conectadas através da troca rápida e frequente de respostas para uma só pergunta: o que você está fazendo?

Para responder a essa pergunta, cada texto é limitado a 140 caracteres. O fato de a rede se adaptar tão bem às mensagens de texto via celular faz com que seja bastante atraente para a divulgação de notícias em cima da hora. Estima-se que 32 milhões pessoas de todo o mundo sejam usuárias do Twitter.

CA/afp/dpa/dw
Revisão: Augusto Valente

Leia mais