Partido do governo consegue maioria no Parlamento em eleição no Japão | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 14.12.2014
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Partido do governo consegue maioria no Parlamento em eleição no Japão

Em meio à forte nevasca, japoneses vão às urnas. Governo garantiu dois terços das cadeiras. Premiê Shinko Abe vê resultado como aprovação de sua política.

default

Premiê Shinko Abe comemora vitória no Japão

O atual primeiro-ministro do Japão, Shinko Abe, foi o grande vencedor da eleição parlamentar realizada neste domingo (14/12). O conservador Partido Liberal Democrata (PLD) de Abe juntamente com seu parceiro de governo o Novo Komeito garantiram aproximadamente 325 das 475 cadeiras que formam a câmara baixa do Parlamento.

Com esse resultado, os partidos aliados garantem a supermaioria para governar, ou seja, dois terços das cadeiras. Isso permite a câmara baixa anular decisões da câmara alta. "Eu acho que o público aprovou os dois anos de nossas políticas Abenomics. Mas isso não significa que podemos ser complacentes", afirmou Abe ao canal de televisão estatal NHK.

A principal oposição, o Partido Democrata do Japão (PDJ), ficou com cerca de 73 cadeiras, o Partido da Inovação ficou com 41, enquanto o Partido Comunista japonês ficou com 21.

O líder do PDJ, Banri Kaieda, afirmou que o partido precisa fazer mais esforços para recuperar a confiança dos eleitores. "É importante aperfeiçoar nossas políticas para que o público volte a sentir que eles nos querem como partido no poder", disse.

Insatisfação com os rumos da economia

Os japoneses foram às urnas em meio a uma forte nevasca que atingiu algumas regiões do país. Em alguns locais, o trânsito foi interrompido. A abstenção eleitoral foi a maior desde a Segunda Guerra Mundial. Apenas cerca de 52% dos eleitores compareceram às urnas.

O baixo comparecimento pode ser um sinal de insatisfação com o desempenho de Abe e da estratégia do premiê, conhecida como Abenomics, para acabar com a deflação que atinge o país e gerar crescimento.

Wahl in Japan 14.12.2014

Abstenção eleitoral foi a maior desde a Segunda Guerra Mundial

Apesar da Abenomics, a terceira maior economia do mundo afunda em recessão, após um controverso aumento de 5% para 8% no imposto sobre vendas determinado em abril. Em meados de novembro, Abe, decidiu deixar um novo aumento no valor dessa taxa para o próximo ano, dissolveu a câmara baixa do Parlamento e antecipou as eleições.

Casa Branca elogia primeiro-ministro

Washington parabenizou o premiê japonês pela vitória nas urnas, destacando a "forte liderança" de Abe nas crises internacionais.

"A aliança americana-japonesa é o pilar da paz e prosperidade na Ásia-Pacífico. Nós estimamos a forte liderança do primeiro-ministro Abe em uma ampla gama de questões regionais e globais, desde a ajuda às vítimas do tufão nas Filipinas, passando pela resposta ao ebola, até a luta internacional contra o grupo 'Estado Islâmico'", afirmou um porta-voz da Casa Branca.

CN/dpa/rtr/afp/lusa

Leia mais