Partido de Merkel sofre novo revés e vê ascensão da AfD | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 18.09.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Partido de Merkel sofre novo revés e vê ascensão da AfD

Eleitores de Berlim dão à CDU o pior resultado da história na cidade-Estado e colocam populistas de direita em mais um parlamento regional alemão. Social-democratas seguem no governo, mas precisam de nova coalizão.

Angela Merkel

Depois da eleição em Berlim, Merkel deve sofrer novas críticas de aliados por sua política para refugiados

Os resultados da eleição deste domingo (18/09) na cidade-Estado de Berlim indicam um desgaste da chamada grande coalizão liderada pela chanceler federal Angela Merkel e mostram que a direita populista continua em ascensão na Alemanha.

Apesar de os dois principais partidos da coalizão de governo terem sido os mais votados, o resultado da eleição têm um sabor amargo para ambos. O Partido Social-Democrata (SPD) saiu das urnas como o mais votado, com 21,5%, mas registrou uma queda de 6,8 pontos percentuais em relação à eleição anterior, em 2011.

É também a primeira vez que o partido mais votado obtém menos de 25% dos votos numa eleição regional alemã e ainda o pior resultado do SPD em Berlim no pós-Guerra.

Berlin Wahlen zum Abgeordnetenhaus erste Wahlergebnisse AfD

Partidários da AfD festejam resultado em Berlim

Já a União Democrata Cristã (CDU), partido de Merkel, foi a segunda mais votada, mas caiu 5,7 pontos percentuais na preferências dos berlinenses e alcançou apenas 17,6%, também o pior resultado do partido em Berlim desde a fundação da República Federal da Alemanha.

Esta é a segunda vez em poucas semanas que a CDU obtém o seu pior resultado histórico em eleições regionais. Em Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, o partido da chanceler foi o terceiro mais votado, com 19%, atrás da AfD, que obteve 21%. A CDU registrou perdas em todas as eleições regionais realizadas este ano e, como consequência, está no poder em apenas seis estados alemães.

O novo revés deverá elevar ainda mais as críticas de aliados, principalmente da União Social Cristã (CSU), à política para refugiados de Merkel. A CSU é o partido-irmão da CDU e existe apenas na Baviera, onde a CDU não está representada.

Berlin Wahlen zum Abgeordnetenhaus erste Wahlergebnisse Michael Müller SPD

Prefeito Michael Müller fica no cargo, mas vai precisar de novos parceiros de coalizão

Somados, os resultados de SPD e CDU não são suficientes para repetir a aliança que governa Berlim, o que obriga o SPD a buscar novos parceiros de governo. A formação mais provável é uma aliança com os verdes e A Esquerda, como já indicou o prefeito Michael Müller, o que significa também que a CDU deve deixar o governo em Berlim.

Outro destaque da eleição regional em Berlim foi o partido populista de direita Alternativa para a Alemanha (AfD), que obteve 14,1% dos votos, um resultado que, segundo analistas, é ainda mais impressionante por se tratar de uma cidade de tradição liberal e esquerdista. Com isso, a AfD entrou em mais um parlamento regional alemão, o décimo de um total de 16. A AfD é o principal crítico da política para refugiados da grande coalizão.

A Esquerda chegou aos 15,7%, o que significa uma alta de quatro pontos percentuais, e o Partido Verde somou 15,2%, uma queda de 2,4 pontos percentuais. O Partido Pirata não conseguiu repetir o bom desempenho de 2011 e obteve apenas 1,7% dos votos, abaixo da votação mínima de 5%. Já os liberais do FDP retornam ao parlamento, com 6,7% dos votos.

AS/dpa/ard

Leia mais