Partido de Merkel sofre derrota em eleições regionais | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 09.05.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Partido de Merkel sofre derrota em eleições regionais

Os democrata-cristãos da chanceler alemã Angela Merkel sofrem um duro revés nas importantes eleições no estado de Renânia do Norte-Vestfália. O resultado reduz o poder do governo federal.

default

Fracasso em pleito regional enfraquece governo Merkel

Os democrata-cristãos da chanceler alemã Angela Merkel receberam um duro golpe neste fim de semana, ao perderem as importantes eleições regionais realizadas neste domingo (09/05) no estado da Renânia do Norte-Vestfália.

A coalizão entre os democrata-cristãos da CDU e os liberais do FDP, que sustenta o governador do estado, Jürgen Rüttgers, perdeu sua maioria no parlamento local e terá que deixar o poder daquele que é o estado mais populoso da Alemanha, com 13,5 milhões de eleitores.

Pleito regional, consequências federais

O resultado do pleito regional tem repercussões em nível federal. A votação, única no país neste ano, serve como um indicativo da insatisfação do eleitorado com a atual política do governo alemão. Além disso, a derrota da aliança entre democrata-cristãos e liberais no estado tem como consequência direta a perda da maioria governamental no Bundesrat, a câmara alta do legislativo federal.

Este último fato poderá obrigar o governo Merkel a ter que negociar com a oposição para conseguir a aprovação de determinados projetos de lei.

A importância política de eleições no estado mais populoso da Alemanha pôde ser verificada em 2005. Na época, o então chanceler alemão, Gerhard Schröder, decidiu convocar eleições gerais antecipadas, não vendo mais perspectivas para sua coalizão de governo em Berlim, depois da derrota da aliança entre verdes e social-democratas na Renânia do Norte-Vestfália. Desde então, o governo federal é comandado por Angela Merkel.

Grécia e orçamento causam queda de popularidade

Tanto a chanceler, como seu correligionário, Rüttgers, atravessaram as últimas semanas com níveis de popularidade na descendente. Os níveis de aprovação do governo alemão têm caído sensivelmente desde que a chanceler vem vacilando há meses entre a necessidade de decretar medidas contenção de despesas orçamentárias e de conceder alívios tributários prometidos aos cidadãos na campanha eleitoral do ano passado. Além disso, muitos eleitores estão insatisfeitos com a decisão de socorro a Grécia com créditos de bilhões de euros.

Autores: Marcio Damasceno / Martin Muno
Revisão: Nádia Pontes

Leia mais