Partido de extrema direita provoca controvérsia em campanha eleitoral na Áustria | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 20.08.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Partido de extrema direita provoca controvérsia em campanha eleitoral na Áustria

Com cerca de 25% nas pesquisas de intenção de voto, partido de extrema direita atrai adeptos durante campanha eleitoral em Viena, ao fazer uso de expressão tida como própria do vocabulário nazista em slogan de campanha.

default

Strache: nova estrela da extrema-direita austríaca

A extrema direita tem ganhado pontos nas enquetes realizadas em Viena e poderá abocanhar cerca de um quarto dos votos nas eleições de outubro próximo para a prefeitura da cidade. Mas muitos estão preocupados com o uso de slogans xenófobos feitos pelo partido.

O partido austríaco de extrema direita FPÖ (sigla em alemão para "Partido da Liberdade da Áustria), está causando indignação com a sua campanha para as próximas eleições na capital austríaca. Seus cartazes são considerados racistas, perigosos e inspirados em slogans nazistas.

O slogan que está causando todo o barulho aparece em letras garrafais em imensos outdoors, exibindo o rosto sorridente do líder do FPÖ, Heinz Christian Strache, com os dizeres "Mehr Mut für unser Wiener Blut", ou seja, "mais coragem para o nosso sangue vienense". A linha seguinte, também escrita em rima, afirma que "estrangeiros demais não fazem bem a ninguém".

Falco

Falco, morto em 1998, ainda é um ícone pop na Áustria

A frase se baseia em uma opereta popular do compositor Johann Strauss (1825-1899) e em uma canção de sucesso da década de 1980 do cantor pop austríaco Falco. Mas os social-democratas, que hoje detêm o poder em Viena, dizem que a expressão tem sua origem no vocabulário nazista, enfatizando a pureza da raça e do sangue.

Mais que tradição

Para Eric Frey, editor-chefe do jornal vienense Der Standard, a linguagem é flagrantemente racista. "Ela é racista e abertamente xenófoba. É parte da estratégia de campanha", avalia o jornalista.

"Strache vai executar uma espécie de campanha de duas frentes, na tentativa de mobilizar seus eleitores de base e tentando apelar aos eleitores da classe trabalhadora que, geralmente, não gostam muito de votar no FPÖ", explica Frey.

O FPÖ alega que apenas pretende enfatizar seu apoio às tradições vienenses. O partido ressalta que há poucas coisas mais autenticamente vienenses que Strauss e Falco.

Palavras cuidadosamente escolhidas

A maioria dos comentaristas, no entanto, discorda. Benedict Narodoslawsky, autor de um livro sobre o FPÖ, diz que, embora o partido afirme que o slogan seja uma referência à cultura vienense, seus dirigentes têm consciência do tom provocativo das palavras que usam.

"Eles dizem que não, que a frase remete a Strauss e Falco. Mas isso é apenas uma defesa automática contra as críticas. É claro que eles estão conscientes de que ela tem esta conotação negativa", diz Frey".

Wahlen in Österreich Jörg Haider

O populista Jörg Haider, morto em 2008: ex-líder do FPÖ

O FPÖ, conhecido durante muito tempo como o partido de Jörg Haider, tem conseguido bom apoio popular com seu jovem novo líder, Heinz Christian Strache. Uma pesquisa recente do Instituto Gallup sugere que ele pode ganhar 23% dos votos em Viena, onde vive a maioria dos imigrantes da Áustria.

Uma vitória do FPÖ nas urnas teria consequências graves para os social-democratas: eles perderiam sua maioria absoluta e seriam forçados a formar uma coalizão com um dos partidos menores.

O resultado poderia também ter implicações para o premiê Werner Faymann, cujo partido social-democrata lidera a coalizão federal e sofreu uma série de derrotas em recentes eleições regionais.

Cidade de imigrantes

Viena é uma cidade onde metade das residências possui pelo menos um membro com antecedentes de imigração. Mesmo nos tempos de Johann Strauss, ela já concentrava imigrantes de todas as partes da Europa Central. Em oito semanas, a cidade multicultural dará seu veredicto sobre a exploração por parte do FPÖ de uma de suas tradições mais conhecidas.

Autor: Kerry Skyring (md)
Revisão: Soraia Vilela

Leia mais