1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turismo

Parque Nacional Berchtesgaden inspira esportistas e artistas

Através de uma ampla rede de trilhas, é possível descobrir verdadeiros recantos dos Alpes bávaros. Passeios curtos, como a subida ao pico Jenner ou a visita a Ramsau, já permitem vislumbrar paisagens impressionantes.

default

Vista panorâmica da cidade de Berchtesgaden

No extremo sudeste da Alemanha, entre Munique e Salzburgo (Áustria), situa-se uma paisagem que o viajante e naturalista alemão Alexander von Humboldt certa vez classificou como "uma das mais belas da Terra": o Parque Nacional Berchtesgaden.

Fundado em agosto de 1978 e declarado Reserva da Biosfera pela Unesco em 1990, ele abrange uma área de 210 quilômetros quadrados. A fauna inclui mais de 100 espécies de pássaros, 15 tipos de peixes e animais raros, como o cabrito montanhês, reintroduzido na região nos últimos 30 anos.

Uma rede de trilhas de aproximadamente 230 km o transforma num verdadeiro paraíso para contempladores da natureza, amantes do montanhismo e do esqui e também para artistas.

Um dos caminhos que leva direto ao coração do parque parte de Berchtesgaden, cidade de 7735 habitantes, a 150 km de Munique e 24 km de Salzburgo. O primeiro trajeto pode ser feito de carro, até a Jennerbahn Mittelstation (estação do teleférico), no bairro Hinterbrand, a uma altitude de 1200 metros.

Na subida até a estação é possível visitar o Centro de Documentação Obersalzberg, uma exposição permanente do Instituto Histórico Munique-Berlim. Residência de férias de Hitler desde 1923, Obersalzberg foi a segunda sede do regime nazista, ao lado de Berlim, a partir de 1933. A exposição liga a história local com as manifestações do nazismo.

Cenário de pintura

Berchtesgadener Land - Blick auf den Königssee mit Watzmann im Hintergrund. (Bitte Großformat) Copy: Simone Hoffmann

Königssee aos pés do Watzmann: paisagem inspiradora

A pé leva-se 2h30min (de teleférico menos de meia hora) para ir da Mittelstation até o pico Jenner (1874 m), de onde se tem uma das mais impressionantes vistas panorâmicas dos Alpes bávaros: o lago Königssee aos pés do monte Watzmann.

Há séculos este "cantinho do paraíso" inspira poetas e pintores. Até mesmo Caspar David Friedrich (1774–1840), um dos principais expoentes do Romantismo alemão, dedicou um de seus quadros ao Watzmann. Com 2713 metros de altitude, é o segundo pico mais elevado da Baviera, depois do Zugspitze.

Dormir na cabana alpina

Berchtesgadener Land - Karl von Stahlhaus an der deutsch-österreichische Grenze Copy: Geraldo Hoffmann

Karl von Stahlhaus, na fronteira da Alemanha com a Áustria

Uma caminhada na Reserva da Biosfera de Berchtesgaden só é completa quando se pernoita numa das cabanas construídas no parque pela Associação dos Alpes (Alpenverein). A opção mais romântica para quem chega ao Jenner é andar mais meia hora até a aconchegante Karl von Stahlhaus.

Construída em madeira entre 1921 e 1923, na fronteira teuto-austríaca, a cabana tem 24 camas e mais 70 colchões dispostos em quartos coletivos. Ela abre o ano inteiro, mas no inverno só se chega de esqui.

Os preços de hospedagem são razoáveis para os padrões europeus: entre 9 e 18 euros pelo pernoite; 6,90 euros por um prato simples, como Leberkäse (um bolo feito de pasta de carne bovina e suína) com batatas assadas; e 5 euros pelo café da manhã.

Berchtesgadener Land - Karl von Stahlhaus (Innenansicht) an der deutsch-österreichische Grenze Copy: Geraldo Hoffmann f. Deutsche Welle

Cabana oferece ambiente aconchegante

Nos finais de semana do verão, recomenda-se fazer reserva antecipada. O ambiente é tão limpo que é preciso levar chinelos – o sapato de caminhada tem de ser tirado na entrada. Por questão de higiene, deve-se levar também um lençol e uma capa de cobertor.

Da Karl von Stahlhaus partem trilhas para escalar as montanhas nos arredores ou fazer caminhadas de vários dias pelo parque, inclusive até o lago Funtensee, o ponto mais frio da Alemanha. A decida no dia seguinte, até o estacionamento em Hinterbrand, dura cerca de 2 horas a pé. Das 9h às 17 horas, também se pode retornar de teleférico a partir do pico Jenner, por 9,60 euros.

Ramsau e Hintersee

Quem prefere fazer caminhadas curtas em vez de uma longa e cansativa, pode, por exemplo, emendar uma visita a Ramsau, a 10 km do centro de Berchtesgaden. A principal atração deste idílico povoado de 1770 habitantes é a Igreja de São Sebastião e São Fabiano.

Pfarrkirche St. Sebastian in Ramsau bei Berchtesgaden (Bitte Großformat) Copy: Simone Hoffmann

Igreja de São Sebastião e São Fabiano: cartão-postal de Ramsau

Construída em 1512 e ampliada em estilo barroco em 1692, tendo a montanha Reiteralpe ao fundo, é um dos mais belos cartões-postais da Baviera. Tem fama mundial não só por aparecer em selos dos Correios Alemães. Josef Mohr, autor da canção Noite Feliz , foi pároco auxiliar na igreja.

A 4 km da igreja encontra-se o lago e o bairro Hintersee, ponto de partida para caminhadas a diferentes pontos do parque. Uma delas leva à Schärtenalm, a 1362 m de altitude, onde se chega após 2h45min suando morro acima. A trilha é larga, bem demarcada e coberta de macadame, mas íngreme. Sapatos com solas aderentes são imprescindíveis.

Wanderung im Berchtesgadener Land: Blick von dem Schärtenalm auf den Hintersee bei Ramsau Copy: Geraldo

Vista a partir da Schärtenalm

A Schärtenalm é um rancho transformado em rústico restaurante panorâmico, que oferece pratos típicos, como o Kaiserschmarrn (panqueca em pedaços), cerveja, refrigerantes, café e tortas deliciosas. Ali não se pode pernoitar, mas desfrutar a vista sobre o lago Hintersee e as montanhas que o rodeiam.

Quem quiser dormir mais uma noite nas alturas, precisa caminhar mais uma hora até a cabana Blaueishütte, na trilha que vai em direção à Blaueis, a geleira mais setentrional dos Alpes. Visitar o que ainda resta da "geleira azul", no entanto, é uma outra aventura. As duas caminhadas descritas acima são esforço físico suficiente para um fim de semana.