1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Parlamento sérvio aprova normalização de relações com Kosovo

Acordo era pré-condição para negociações sobre ingresso de Belgrado na UE, mas não inclui reconhecimento da independência kosovar. Ultranacionalistas sérvios protestam. UE também procura aproximação com Pristina.

O Parlamento da Sérvia aprovou nesta sexta-feira (26/04), com grande maioria, a normalização das relações com o Kosovo, sua antiga província separatista. O acordo histórico permitirá a Belgrado iniciar as negociações para admissão na União Europeia.

Dos 203 deputados presentes, 173 aprovaram o acordo de normalização, entre nacionalistas do governo e oposicionistas de centro-esquerda. A maior parte dos 24 contrários pertence ao Partido Democrático da Sérvia, ultranacionalista e eurocético.

O acordo fora finalizado uma semana atrás e já contava com a aprovação do governo. Ele reconhece a autoridade do Kosovo sobre os integrantes da etnia sérvia no norte do país, ao mesmo tempo, concedendo-lhes um certo grau de autonomia em relação ao governo da capital kosovar Pristina, de dominação albanesa.

A votação ocorreu com forte presença policial do lado de fora do Parlamento, a fim de conter as centenas de manifestantes ultranacionalistas. Também no norte do Kosovo milhares de sérvios protestaram contra a decisão de Belgrado, portando faixas com dizeres como "Kosovo é o coração da Sérvia" e "Não a Pristina. Não ao acordo com Bruxelas".

Mitrovica Demos gegen Abkommen mit Kosovo

Manifestações de sérvios do norte do Kosovo contra acordo já duram toda a semana

De olho na filiação à UE

Segundo o primeiro-ministro sérvio, Ivica Dacic, o escrutínio é decisivo para o destino da Sérvia como nação na Europa. "Não se trata apenas de uma simples votação sobre o acordo. Ela mostra aquilo em que acreditamos e aonde queremos ir. Sim, poderíamos ter rejeitado o consenso, e aí nos tornaríamos a Coreia do Norte da Europa. Mas o que seria da Sérvia, então?", justificou o premiê, após um dia de acalorados debates no Parlamento.

Dacic enfatizou, porém, que o documento não significa o reconhecimento do Kosovo como Estado independente. Até agora, 101 Estados e organizações reconheceram oficialmente a independência da região, incluindo as Nações Unidas, a Otan, a Organização de Cooperação Islâmica, os Estados Unidos e 22 dos 27 países-membros da União Europeia.

Na última segunda-feira, a Comissão Europeia recomendara o início das negociações com Belgrado sobre uma adesão à UE. Uma das condições impostas para tal era a normalização das relações com o Kosovo. A Comissão também recomendou negociações com a república kosovar, para aproximar Pristina da UE.

Na sexta-feira, antes mesmo da votação em Belgrado, o comissário europeu para a Ampliação e Política de Vizinhança, Stefan Füle, declarara: "O acordo com Pristina enviou uma potente mensagem por toda a Europa quanto à atitude pró-europeia da Sérvia. Ela progrediu para além de conflitos passados e para mais perto do futuro dentro da Europa".

AV/dpa/afp/ap

Leia mais