Paraquedistas dos EUA chegam à Ucrânia para treinar militares | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 17.04.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Paraquedistas dos EUA chegam à Ucrânia para treinar militares

Guarda nacional ucraniana receberá treinamento de 300 militares americanos. Rússia critica apoio dos EUA e diz que ele desestabiliza a situação e não ajuda a resolver conflito.

default

Soldados da guarda nacional da Ucrânia, que lutam contra separatistas no leste do país

Cerca de 300 paraquedistas do Exército dos Estados Unidos chegaram esta semana àUcrânia para treinar a guarda nacional do país, que luta contra os separatistas pró-Rússia no leste ucraniano.

As tropas chegaram nesta terça e quarta-feira (15/04) em Yavoriv, no oeste da Ucrânia, e passarão seis meses treinando três batalhões de tropas ucranianas, afirmou o Exército americano nesta quinta-feira.

Segundo o ministro ucraniano do Interior, Arsen Avakov, os americanos iniciarão o treinamentos de cerca de 900 militares ucranianos em 20 de abril.

A Rússia criticou a ajuda americana aos ucranianos. "É claro que a participação de instrutores e especialistas de países terceiros em território ucraniano não ajuda a resolver o conflito", afirmou o porta-voz do presidente Vladimir Putin. "Ao contrário, pode seriamente desestabilizar a situação."

O coronel Steven Warren, porta-voz do órgão central das Forças Armadas americanas, disse que o treinamento, anteriormente marcado para meados de março, foi transferido para abril depois de passar por algumas revisões.

A porta-voz do Departamento de Defesa, Eileen Lainez, disse que o programa tem foco na segurança interna e defesa territorial. "Enquanto continuamos a acreditar que não há solução militar para a crise, entendemos que a Ucrânia tem o direito de se defender."

O treinamento é "parte de nossos esforços em andamento para ajudar a Ucrânia a manter suas operações de defesa e de segurança interna", disse Lainez. "O programa também é destinado a reforçar a capacidade da Ucrânia de se defender e ajudar na reforma de sua defesa."

Em março, Washington anunciou que enviará material militar no valor de 75 milhões de dólares à Ucrânia, incluindo veículos militares Humvee, tanto blindados como não blindados, e drones sem armas, radares antimorteiros, dispositivos de visão noturna e outros equipamentos de defesa não letais.

RC/afp/ap

Leia mais