Para mídia estrangeira, Dilma Rousseff é ″dama de ferro″ e ″ex-guerrilheira″ | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 21.02.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Para mídia estrangeira, Dilma Rousseff é "dama de ferro" e "ex-guerrilheira"

Jornais e agências lembram que ministra-chefe da Casa Civil tem pouco carisma e imagem de durona, mas que tem a seu favor a alta popularidade e o "governo bem-sucedido" de seu padrinho político, o presidente Lula.

default

Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à sucessão de Lula

Ex-guerrilheira, dama de ferro, candidata sem carisma. Esses são alguns dos adjetivos encontrados nos comentários da imprensa internacional sobre a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, cuja pré-candidatura ao Palácio do Planalto foi oficializada por aclamação neste sábado (20/02), durante congresso do PT.

A grande imprensa alemã se limitou, neste domingo, a reproduzir as notas das agências internacionais sobre o lançamento da ministra pelo PT à sucessão presidencial. A francesa AFP destaca a escolha de Dilma Rousseff para concorrer à presidência do Brasil chamando-a de "ex-guerrilheira de 62 anos com reputação de dama de ferro". A inglesa Reuters lembrou que a ministra prometeu manter a disciplina fiscal, as taxas de câmbio flutuante e os níveis de inflação.

"Fama de dura e até antipática"

O correspondente no Brasil do jornal espanhol El País ressalta que Dilma nunca se candidatou a um cargo eletivo talvez porque "carece de carisma, por seu perfil tecnocrata ou pela sua fama de gestora dura e até antipática". Ele lembra que Dilma prometeu que, caso saia vencedora das urnas, seguirá "sua herança bendita", continuando o rumo do antecessor, com "políticas que impulsionaram o crescimento econômico e o progresso social, tirando da miséria 20 milhões de brasileiros".

A candidata de Lula tem "apoio dos empresários e banqueiros mais poderosos do país, que não querem mudanças", é o que observa o argentino Clarín. A correspondente do periódico no Brasil comenta que a pré-candidata tem agora como desafio "conquistar o voto feminino".

"Continuidade de um governo bem-sucedido"

Já o diário português Público afirma que Dilma Rousseff, "mais conhecida pelo perfil técnico" e roupa escura, continua no rumo para ser a candidata do PT com "um estilo mais descontraído e sorriso pronto".

A agência de notícias portuguesa Lusa sublinha que a campanha de Dilma Rousseff "deverá ser marcada pela proposta de continuidade de um governo bem-sucedido, que ostenta altíssimos índices de aprovação", acrescentando que ela vai buscar "comparações com a administração anterior, do presidente Fernando Henrique Cardoso".

Autor: Marcio Damasceno
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais