1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Para chegar às quartas, Alemanha precisa de vitória inédita contra Argélia

Seleção africana vê chance de se vingar pela "Vergonha de Gijón", que a eliminou da Copa de 1982 após derrotar os alemães. Tema irrita Löw, que tem dúvidas no meio-campo e alerta para as qualidades argelinas.

Passados 32 anos, a Argélia tem a oportunidade de vingar a seleção de 1982, enfrentando a Alemanha pelas oitavas de final da Copa do Mundo, nesta segunda-feira (30/06), em Porto Alegre. Após uma vitória sobre os alemães naquela Copa da Espanha, os argelinos acabaram eliminados depois do "jogo de compadres" entre Alemanha e Áustria – conhecido como a

"Vergonha de Gijón".

"Os jogadores [argelinos] sequer tinham nascido naquela época. Para nossos jogadores, o tema vingança não é problema. Quando leio que esse jogo é movido por vingança, fico irritado", disse o treinador alemão, Joachim Löw.

Apesar do franco favoritismo da Alemanha para este confronto, Löw tratou de abafar os ânimos na coletiva de imprensa que antecedeu o reconhecimento de gramado e o último treino antes da partida. "Se alguém acredita que nosso adversário seja mais fraco e que já pode focar na próxima rodada, está cometendo um grave erro", alertou o treinador.

WM 2014 Achtelfinale Abschlusstraining Deutschland

Khedira ou Schweinsteiger? O volante do Real Madrid treinou bem e deve ser o titular contra a Argélia

Löw sabe do que está falando. Alemanha e Argélia enfrentaram-se apenas duas vezes na história, e em ambas, os tricampeões mundiais eram favoritos e sucumbiram. Num amistoso, na capital argelina, em 1964, deu 2 a 0 para a Argélia, além da já mencionada partida na Copa de 1982, quando a Argélia venceu por 2 a 1.

Para quebrar esse tabu, Löw não poderá contar com Lukas Podolski, que sofreu uma fisgada muscular na coxa e está fora dos treinamentos pelos próximos três a quatro dias. Além disso, Jérôme Boateng, com dores no joelho, treinou separado do grupo, mas deve ir para o jogo.

Entretanto, o principal tema de discussão tem sido os volantes Bastian Schweinsteiger e Sami Khedira. Contra os Estados Unidos, Schweinsteiger começou jogando, e Khedira, que foi titular nas duas primeiras partidas, fugiu da polêmica: "O treinador tem que decidir o que é melhor para a equipe".

A tendência é que a rotatividade na posição de segundo-volante continue. Khedira recebeu uma pausa na última partida e deve voltar ao time titular. "Eu tinha que dar [o descanso]. Ele ficou um longo tempo contundido e, na verdade, é um pequeno milagre que esteja aqui", disse Löw sobre o volante do Real Madrid.

WM 2014 Deutschland Lukas Podolski Training

Lukas Podolski sentiu uma fisgada na coxa e é ausência certa na partida no Beira-Rio

Com Khedira ou Schweinsteiger, o treinador acredita que, para a fase de mata-mat, a seleção alemã ainda precisa evoluir. "A Copa é uma maratona e não um sprint de 100 metros. A equipe precisa crescer na competição. E nós não chegamos ainda ao nosso limite. Mas o jogo no último terço do campo, o último passe, a finalização e a ocupação da grande área são detalhes que precisamos melhorar."

Sobraram elogios para o adversário desta segunda-feira. "Foram raras as equipes que vi defenderem com tanta veemência e que conseguem chegar com velocidade ao ataque", disse Löw.

Fato é que a Argélia é a melhor seleção africana no ranking da Fifa (22º) e quebrou alguns recordes nesta Copa: alcançou pela primeira vez as oitavas de final e, com a vitória por 4 a 2 contra a Coreia do Sul, tornou-se a primeira seleção africana a marcar quatro gols numa partida de Copa do Mundo.

"Não estamos no Brasil para fazer turismo. Sempre vamos dar o nosso melhor para ir o mais longe possível na competição. É futebol, nada está planejado de antemão", disse o zagueiro e capitão das "Raposas do Deserto", Rafik Halliche.

Em caso de vitória argelina, a Copa do Mundo poderá ter um confronto com clima caseiro nas quartas de final. Isso porque o adversário sai de França e Nigéria, e, dos jogadores da seleção argelina, 17 nasceram na França, mas optaram por defender a bandeira do país de seus antepassados.

FIFA Fußball WM 2014 Algerien Russland

Slimani, o responsável pela vaga nas oitavas, também tem que encarar o Ramadã, que começou neste domingo

Prováveis escalações

Alemanha: Manuel Neuer; Jérôme Boateng, Mats Hummels, Per Mertesacker e Benedikt Höwedes; Sami Khedira (Bastian Schweinsteiger), Philipp Lahm, Toni Kroos; Mesut Özil, Mario Götze e Thomas Müller. Técnico: Joachim Löw.

Argélia: Rais M'bolhi; Aissa Mandi, Rafik Halliche, Essaid Belkalem (Madjid Bougherra) e Djamel Mesbah; Carl Medjani, Nabil Bentaleb, Yacine Brahimi, Sofiane Feghouli, Abdelmoumene Djabou; Islam Slimani. Técnico: Vahid Halihodzic.

Local

Estádio Beira-Rio, Porto Alegre.

Arbitragem

Sandro Meira Ricci (Brasil), auxiliado por seus compatriotas Emerson de Carvalho e Marcelo van Gasse.

Destaques

Alemanha

Thomas Müller: Artilheiro da última Copa do Mundo com cinco gols, Müller já balançou as redes quatro vezes no Brasil. O versátil atacante do Bayern de Munique provou ser uma melhor opção no ataque do que o centroavante Miroslav Klose. Além de, com 24 anos de idade, ser 12 anos mais jovem que o colega, Müller sai da área, movimenta-se mais e pode entrar em rotação de posições com Mario Götze.

Argélia

Islam Slimani: O atacante do Sporting de Portugal é o grande responsável pela classificação inédita às oitavas de final. Na derrota contra a Bélgica, ele entrou apenas no final da partida, mas contra a Coreia do Sul e a Rússia foi titular. Na goleada por 4 a 2 contra os asiáticos, Slimani marcou o primeiro gol e deu a assistência para o terceiro do confronto. Já contra a Rússia, ele marcou gol do empate, que garantiu essa vaga inédita.

Retrospecto

Alemanha e Argélia enfrentaram-se apenas duas vezes, e, acreditem se quiser, foram duas vitórias da seleção africana. Num amistoso em 1964, na capital argelina, o resultado foi de 2 a 0 para o time da casa. E na Copa do Mundo de 1982, na cidade espanhola de Gijón, a Argélia venceu por 2 a 1 na fase de grupos.

Último confronto

Foi justamente o único confronto em Mundiais. Em junho de 1982, em Gijón, na Espanha, a Argélia venceu por 2 a 1, com gols de Rabah Madjer e Lakhdar Belloumi. Karl-Heinz Rummenigge descontou para a Alemanha.

Leia mais