1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Papa será enterrado na sexta-feira

O corpo de João Paulo II foi transferido do Palácio Apostólico para a basílica de São Pedro, onde deverá ser venerado por cerca de dois milhões de fiéis até seu enterro na tumba que foi de João 23.

default

Corpo foi levado por entre a multidão reunida na praça São Pedro

O corpo do papa João Paulo II será enterrado nesta sexta-feira (08/04) na cripta da basílica de São Pedro, informou o porta-voz do Vaticano, Joaquin Navarro-Valls, logo após a congregação do Colégio de Cardeais. A decisão pôs fim às expectativas dos poloneses de que o pontífice máximo pudesse ter deixado um testamento solicitando que fosse enterrado – contra a tradição – na Polônia, sua terra natal.

Até sexta-feira, o corpo do Santo Padre permanecerá exposto para veneração dos fiéis na catedral do Vaticano. Pela tradição, o funeral do papa deve durar nove dias consecutivos. De acordo com a regra, o corpo do sumo pontífice deve ser enterrado entre o quarto e o sexto dia após a sua morte, segundo disposições definidas pelo próprio João Paulo II na Constituição Apostólica de 1996.

Nesta segunda-feira (04/04), após uma cerimônia, o corpo do papa foi transportado da Sala Clementina, no Palácio Apostólico, e conduzido, em meio à multidão reunida na praça São Pedro, por entre as portas de bronze da basílica. Antes mesmo do traslado, a multidão já formava filas. Segundo o Vaticano, o espaço ficará aberto quase que constantemente para visitação pública. Só das duas às cinco da madrugada é que o recinto será fechado para limpeza e manutenção.

Enterro na tumba de João 23

Papst Leiche wird in den Petersdom überführt

Imagem televisiva mostra o corpo de João Paulo II cercado por membros da Guarda Suíça pouco antes do início do traslado

A cerimônia fúnebre será conduzida pelo cardeal alemão Joseph Ratzinger a partir das dez da manhã da sexta-feira na praça São Pedro, de acordo com decisão do Colégio de Cardeais, em reunião da qual participaram 65 membros. Em seguida, o corpo será enterrado na cripta da basílica, junto a outros pontífices.

João Paulo II deverá ser enterrado na tumba onde estavam os restos mortais do papa João 23 antes de serem removidos da cripta para a igreja após sua canonização. Na Polônia, muitos católicos ainda esperam que ao menos o coração do papa retorne à Cracóvia, onde era arcebispo.

Espera-se que até dois milhões de fiéis se dirijam a Roma para tomar parte das cerimônias fúnebres, nas quais chefes de Estado e de governo de diversos países já confirmaram presença, entre eles o presidente do Brasil, Luís Inácio Lula da Silva, e dos Estados Unidos, George W. Bush, acompanhado da primeira-dama. O casamento do príncipe Charles e Camila Parker Bowles, que também estava marcado para a sexta-feira, foi adiado para o sábado.

Kardinäle im Vatikan

Data da cerimônia fúnebre foi decidida pelo Colégio de Cardeais

O premiê alemão Gerhard Schröder e o presidente Horst Köhler também estarão presentes. É a primeira vez em dez anos que um chanceler federal e um presidente participarão simultaneamente de uma cerimônia oficial em outro país – a última vez foi em dezembro de 1995, durante o enterro do premiê israelita assassinado Yitzhak Rabin.

Segurança para dois milhões de fiéis

Para garantir a segurança dos fiéis, bem como a de cerca de 200 personalidades esperadas, foram reforçadas as medidas de segurança na cidade. Ônibus especiais trafegam continuamente entre o Vaticano e as duas estações ferroviárias principais. Nos limites da cidade, foi instalado um enorme acampamento para acomodar peregrinos. Além disso, o aeroporto Leonardo da Vinci deverá ser temporariamente fechado para receber personalidades internacionais.

Petersdom in Rom - Vatikan

A basílica de São Pedro, no Vaticano

O conclave, no qual será decidido o sucessor de João Paulo II, terá início de 15 a 20 dias após a morte do papa. Joseph Ratzinger, o deão (mais idoso) do Sagrado Colégio de Cardeais, convocou os 117 cardeais com menos de 80 anos que podem votar e ser votados – todos nomeados pelo próprio João Paulo II, à exceção de três. Doze cardeais são considerados favoritos.

Leia mais