Papa pede uma sociedade mais aberta e renovada em Cuba | Notícias sobre a América Latina e as relações bilaterais | DW | 27.03.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Papa pede uma sociedade mais aberta e renovada em Cuba

Cerca de 200 mil pessoas comparecem à primeira missa celebrada pelo Papa durante sua visita à ilha comunista. Entre elas estava o presidente Raúl Castro.

O papa Bento 16 incentivou milhares de cubanos a "construir uma sociedade mais aberta e renovada", durante uma missa ao ar livre celebrada por ele nesta segunda-feira (26/03). O líder católico está em Cuba para uma visita de dois dias e deverá celebrar mais uma missa pública. Esta é a primeira visita papal à ilha comunista em 14 anos.

Com a viagem, Bento 16 pretende reforçar ainda mais as relações entre a Igreja Católica e o Estado cubano e, ao mesmo tempo, estimular as autoridades do único país comunista da América a levar adiante o processo de mudanças sociais, políticas e econômicas.

"Quero apelar-vos para que revigorem a vossa fé e (...) lutem para construir uma sociedade aberta e renovada, uma sociedade melhor, mais digna do homem, que melhor reflita a vontade de Deus", disse o Papa na sua primeira missa em Cuba, à qual compareceram cerca de 200 mil pessoas.

Papst zu Besuch in Kuba

O presidente Raúl Castro recebe o Papa no aeroporto de Santiago

No inicio da celebração, um homem gritando "abaixo o comunismo" foi retirado do local pelos seguranças. A multidão vaiou o homem e bradou: "Cuba, Cuba, Cuba". Bento 16 fez um discurso polido e equilibrado e evitou críticas diretas ao governo, mas falou algumas frases veladas abordando o histórico de violação dos direitos humanos do regime comunista.

As autoridades cubanas detiveram cerca de 150 dissidentes nos últimos dias para evitar manifestações públicas durante a visita papal, disse o chefe de um grupo de oposição à agência de notícias AFP.

"Estou convicto de que Cuba, neste momento de particular importância em sua história, já está olhando para o futuro e, portanto, está se esforçando para renovar e ampliar seus horizontes", disse o líder católico. Antes da viagem, Bento 16 declarara que o marxismo "não corresponde mais à realidade".

O presidente cubano, Raúl Castro, recebeu o Papa no aeroporto de Santiago, a segunda maior cidade de Cuba, e sentou na primeira fila durante a missa. Os dois líderes terão um encontro nesta terça-feira. O Papa deverá também encontrar-se com o ex-presidente Fidel Castro.

KR/rtr/afp/lusa
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais