Países ricos doarão 4 bilhões de dólares para combater desmatamento | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 27.05.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Países ricos doarão 4 bilhões de dólares para combater desmatamento

Valor supera em 500 milhões de dólares o montante prometido na Conferência do Clima de Copenhague. Países também discutem criação de agência internacional para proteção das florestas, principalmente as tropicais.

default

Desmatamento é responsável por 17% das emissões globais

Os países ricos vão disponibilizar cerca de 4 bilhões de dólares para combater o desmatamento. O montante, que ultrapassa em 500 milhões o valor prometido na Conferência de Copenhague, foi anunciado nesta quinta-feira (27/05) em Oslo, na Noruega, durante um encontro sobre proteção do clima que reuniu 52 países.

A maior parte do dinheiro, 3,5 bilhões, virá dos Estados Unidos, Noruega, Japão, Reino Unido, França e Austrália, como acordado em dezembro último, na conferência organizada pelas Nações Unidas na capital dinamarquesa.

Segundo informações do primeiro-ministro norueguês, Jeans Stoltenberg, as novas ofertas foram feitas principalmente pela Alemanha – que prometeu cerca de 350 milhões de dólares – e pela Dinamarca.

"Florestas é a área em que nós podemos obter as maiores, mais rápidas e mais baratas reduções de emissões", comentou Stoltenberg. O dinheiro é para o período entre 2010 e 2012.

Agência internacional

A reunião na Noruega também discute a criação de uma agência internacional para proteção das florestas, que agiria especialmente nas regiões tropicais.

O objetivo do órgão seria ajudar as nações emergentes e em desenvolvimento na preservação das suas matas, oferecendo auxílio e vigiando o cumprimento de promessas feitas.

Brasil e Indonésia ganham destaque nessa discussão, já que o desmatamento nesses dois países faz com que eles estejam entre os maiores emissores mundiais de gases do efeito estufa, atrás apenas da China e dos Estados Unidos.

Desmatamento

Cálculos feitos pelo IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas), apontam que a derrubada das florestas é responsável por 17% das emissões de carbono do globo – mais do que a soma das emissões de carros, trens, navios e aviões.

O presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono, coanfitrião do evento na Noruega, disse que o financiamento permitirá aos países mais pobres promover ações imediatas contra o desmatamento. Ele também falou que enviará um grupo ao Brasil para conhecer programas de prevenção de derrubada da mata.

O combate ao desmatamento pode corresponder a um terço dos esforços necessários até 2020 para que a temperatura global suba no máximo 2 graus Celsius.

Nos últimos dez anos, o mundo perdeu 13 milhões de hectares de florestas por ano – sem contar áreas de reflorestamento – de um total de 4 bilhões de hectares. A área é equivalente ao território da Costa Rica, segundo informações da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação).

Entre 1990 e 2000, o planeta perdera 16 milhões de hectares de floresta por ano.

NP/afp/dpa/apn
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais