1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Ouro negro na mão dos especuladores

O preço do café subiu notavelmente este ano. As más colheitas e o crescente consumo mundial não são as únicas razões. O café é a matéria-prima cada vez mais visada pelos especuladores, depois do petróleo.

default

Um prazer cada vez mais caro

2004 foi um ano barato para os consumidores de café na Alemanha. Ofertas especiais levaram os preços cair, temporariamente, para menos de quatro euros o quilo. No entanto, os alemães – inveterados bebedores de café – vão ter que gastar mais se quiserem continuar a tomar seus 151 litros (per capita) por ano. O preço do "ouro negro" atingiu um nível recorde na Alemanha.

Brasil produz 20% menos

Um quilo de café está custando 7,46 euros em média, conforme comunicou Winfried Tigges, da Associação Alemã de Café, em Hamburgo. Segundo a associação, isso se deve à drástica redução da oferta de café no mercado mundial.

"O descompasso entre oferta e demanda diminuiu. No ano passado, tivemos uma superoferta de café, mas isso não é o que vem acontecendo este ano e nem o que promete ocorrer no futuro. A previsão para o Brasil, o maior produtor mundial de café, é 20% inferior à do ano passado. O Vietnã também já anunciou que a colheita deste ano foi menor, o que se reflete imediatamente nas bolsas de valores", declarou Tigges.

Consumo crescente no mercado interno

Independentemente das colheitas magras, o mundo o consumo de café também está crescendo em todo o mundo. É nos próprios países produtores de café que o consumo mais aumenta. Os altos preços podem até começar a viabilizar o plantio de café por pequenos agricultores, que até agora dependiam de outras fontes de renda, pois os custos de produção eram superiores aos preços de venda.

Embora Tigges negue a relevância da especulação neste setor, especialistas notam que esta é a principal razão do encarecimento. O café atrai cada vez mais especuladores, segundo comentou Eugen Weinberg, especialista de matérias-primas do Banco DZ, ao diário berlinense Tagesspiegel. "Desde que matérias-primas como o petróleo e os metais se tornaram caras demais, os investidores vêm descobrindo os produtos agrícolas e tropicais como objetos de investimento", explica Weinberg.

Produtos tropicais na mira dos especuladores

É isso que está fazendo o preço do café aumentar drasticamente. A elevação do preço do petróleo também encarece o transporte, a produção e a fabricação de embalagens para o café, o que acentua ainda mais esta tendência.

Em 2003, a cotação do café na bolsa de Londres era de 0,60 dólares. A cotação da última sexta-feira (17) era de 1,10 dólares. Isso se reflete sobre o preço de venda. "Os grandes investidores embarcaram no negócio, após os grandes produtores de café terem previsto preços crescentes", explicou o analista econômico Mark Hubbard, da ABN Amro, em Londres.

Após o petróleo, o café é a matéria-prima que mais se comercializa em todo o mundo. As principais plataformas de negociação são Londres e Nova York.

Leia mais