1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

OTAN vai reduzir suas tropas dos Bálcãs

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) vai retirar 11.800 soldados de suas tropas de paz estacionadas em Kosovo e na Bósnia-Herzegóvina.

default

Secretário-geral da OTAN, George Robertson: a tropa reduzida vai permanecer combativa.

A decisão foi aprovada em Bruxelas, nesta sexta-feira (10), pelo Conselho do Atlântico Norte, o grêmio máximo da aliança militar liderada pelos Estados Unidos. O motivo da redução do contingente dos aliados nos Bálcãs, programada para os próximos seis meses, é a melhoria na situação de segurança na região. Mas ainda vão permanecer lá 33.200 soldados de diversos países da OTAN.

A maior redução de tropa será na Bósnia, onde a SFOR será reduzida de 19.000 para 12.000 soldados. O contingente foi estacionado na ex-república iugoslava depois da guerra da independência, de 1992 a 1995. Da tropa de paz mandada para Kosovo (SFOR) após a guerra de 1999 vão sair 5.000 e ainda permanecerão 32.800. Alemanha tem agora 4.700 soldados na província sérvia de Kosovo e quase 1.700 na Bósnia. Outros 530 soldados alemães estão na Macedônia vigiando o cumprimento do acordo de paz entre as tropas governamentais e os rebeldes albaneses.

O secretário-geral da OTAN, George Robertson, justificou que a situação permite também uma retirada de equipamentos pesados, como tanques e peças de artilharia. O lorde britânico advertiu, ao mesmo tempo, que a tropa de proteção vai se tornar mais leve, móvel, flexível e combativa o suficiente para cumprir as suas tarefas. Ele destacou que a aliança está determinada a contribuir com a população da região para a paz e o bem-estar social, bem como se concentrar em questões regionais, como a segurança interna, o restabelecimento do Estado de direito e o combate ao extremismo.

O chefe do governo de Kosovo, Bairam Rexhepi, esclareceu que a decisão da OTAN não é motivo de preocupação. "A presença das tropas da multinacional ainda é necessária, mas não acredito que a redução do contingente vai afetar a sua capacidade de garantir a segurança de Kosovo", disse ele.

As reações na Bósnia foram semelhantes. O porta-voz do Ministério de relações Exteriores, Amer Kapetanovic, disse que o governo de Sarajevo está confiante de que a estabilidade nos Bálcãs continua sendo alta prioridade da aliança militar transatlântica.