Otan inicia megaoperação contra reduto talibã no Afeganistão | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 13.02.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Otan inicia megaoperação contra reduto talibã no Afeganistão

Operação Moshtarak envolve 15 mil militares, a maioria dos EUA e do Reino Unido, com o objetivo de recuperar redutos talibãs na província de Helmand. Ação foi anunciada com antecedência para alertar a população.

default

Soldados americanos avançam sobre a província de Helmand

Tropas ocidentais e afegãs deram início neste sábado (13/02) à maior ofensiva militar no Afeganistão desde a queda do regime talibã, há oito anos. Cerca de 15 mil soldados avançaram sobre a província de Helmand, no sul do país, com o objetivo de expulsar os radicais talibãs dos distritos de Marjah e Nad Ali.

O objetivo da operação militar é restabelecer a autoridade do governo. "Vamos tirar Marjah dos talibãs", disse o general de brigada Lawrence Nicholson ao jornal The Washington Post . Isso levaria à uma mudança radical em todo o Afeganistão, afirmou.

Oficialmente são os militares afegãos que estão no comando da operação, chamada de Moshtarak ("juntos", em dari). Desta vez a ação foi anunciada com antecedência para alertar os civis. Além disso, a população não deverá ser abandonada ao término da operação.

Pouca resistência

No início da madrugada de sábado (horário local), cerca de 5 mil soldados americanos e aproximadamente 2 mil integrantes das forças militares afegãs invadiram campos e as principais cidades de Marjah, segundo um porta-voz militar dos Estados Unidos.

Horas depois, milhares de soldados britânicos e afegãos atacaram Nad Ali. Mais de 4 mil soldados britânicos participam da operação.

Segundo as primeiras informações militares, os soldados encontraram pouca resistência em Marjah, no início da operação. O porta-voz do Ministério afegão da Defesa disse que 20 rebeldes foram mortos.

Já a agência de notícias Reuters afirma que houve combates violentos envolvendo soldados americanos e rebeldes talibãs em Marjah. Foguetes teriam sido disparados de helicópteros contra posições adversárias. Segundo um correspondente da agência, ao menos um soldado americano morreu em combate.

A força internacional Isaf, da Otan, anunciou a morte de cinco soldados no sul do Afeganistão na manhã deste sábado. Três soldados que não participavam da operação Moshtarak morreram num ataque rebelde. Outro soldado morreu num segundo ataque e o quinto morreu em combate.

Americanos e britânicos formam a maior parte do contigente da operação Mushtarak. Dela participam ainda militares do Canadá, da Dinamarca, da Estônia e da França.

Produção de ópio e heroína

A operação é a primeira desde dezembro, quando o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, elevou em 30 mil o número de soldados americanos no Afeganistão, somando 98 mil. Juntos, Estados Unidos e Otan têm cerca de 113 mil militares no país.

Localizada no sudoeste do Afeganistão, a província de Helmand tem cerca de 2,5 milhões de habitantes. A maioria pertence à etnia pashtun, composta majoritariamente por muçulmanos sunitas, extramamente religiosos.

A província é há anos uma fortaleza dos radicais talibãs, que são apoiados pelos barões da droga que atuam na província e no vizinho Paquistão. Helmand é, segundo as Naöäoes Unidas, o maior centro produtor mundial de papoula, da qual são produzidos o ópio e a heroína.

AS/dpa/rtr

Revisão: Nádia Pontes

Leia mais