Otan alerta sérvios para que encerrem violência no Kosovo | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 19.03.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Otan alerta sérvios para que encerrem violência no Kosovo

Ataques contra soldados da KFOR não serão tolerados, ameaça o comandante da força internacional. Nações Unidas falam em ação orquestrada na cidade de Mitrovica, onde um policial morreu após os distúrbios desta semana.

default

Manifestantes sérvios arremessam pedras contra policiais da força liderada pela Otan

Após os violentos confrontos na cidade de Mitrovica que causaram a morte de um policial ucraniano e feriram várias pessoas, a Otan e as Nações Unidas alertaram os sérvios contrários à independência do Kosovo para que encerrem os ataques contra policiais e soldados.

"Nossos soldados foram alvos de tiros e isso não será mais tolerado", afirmou o comandante da força internacional KFOR, Xavier Bout de Marnhac. "Não nos obriguem a mostrar nossa determinação em responder à violência", disse Marnhac, dirigindo-se aos sérvios que dispararam armas de fogo e arremessaram coquetéis molotov e pedras contra os soldados da força internacional liderada pela Otan e contra policiais da missão da ONU (Unmik).

O representante especial adjunto da ONU, Larry Rossin, disse que os ataques dos sérvios foram orquestrados e que os responsáveis serão punidos. "Sabemos quem são, mas não podemos dizer agora em favor das investigações", afirmou. "Não iremos mais tolerar esse tipo de violência, é totalmente inaceitável."

Os confrontos resultaram na morte de um policial ucraniano de 25 anos. Ele foi um dos mais de 60 policiais da ONU feridos durante os distúrbios, os piores desde que o Kosovo declarou sua independência, há cerca de um mês. Em torno de cem manifestantes também ficaram feridos.

Violência

Os confrontos ocorreram nesta segunda-feira em Mitrovica, no norte do Kosovo, região onde a população de origem sérvia é maioria. A violência começou após policiais da missão da ONU no Kosovo evacuarem um tribunal das Nações Unidas que havia sido ocupado por sérvios na sexta-feira passada.

A prisão de 53 sérvios que ocupavam o tribunal fez com que centenas de pessoas atacassem os policiais da Unmik, libertando 21 dos prisioneiros e ferindo vários policiais. Os ataques obrigaram a Unmik a retirar suas unidades do local e a força internacional da Otan, a KFOR, assumiu o controle da situação. Desde terça-feira Mitrovica está sob lei marcial.

O porta-voz da KFOR, Jean Luc Cotard, disse que a maior parte dos ferimentos foi causada por granadas de mão "num ataque deliberado contra os nossos soldados com a intenção de matar."

Independência reconhecida

A independência do Kosovo foi reconhecida pelas principais potências ocidentais, entre elas os Estados Unidos, a Alemanha, o Reino Unido e a França. Japão e Canadá se uniram esta semana ao grupo.

Nesta quarta-feira, Bulgária, Hungria e Croácia, países vizinhos da Sérvia, também anunciaram que reconhecerão a existência do novo país, elevando para cerca de 30 as nações que apóiam a independência do Kosovo.

O ministro sérvio das Relações Exteriores, Vuk Jeremic, disse que os países que reconhecerem o Kosovo não podem esperar manter boas relações com a Sérvia. "Toda nação que decidir reconhecer o Kosovo, um país ilegal, viola as leis internacionais", afirmou durante viagem à Grécia.

Leia mais