1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Os perigos da radiação

Uma radiografia pode causar mais danos à herança genética do que se supunha até agora. Advertência é resultado de pesquisa de dois biólogos da Universidade do Sarre.

default

Longas exposições a raio X podem provocar câncer

Os pesquisadores Kai Rothkamm e Markus Löbrich fizeram uma cultura em que expuseram tecidos humanos à radiação. Como já era de se esperar, as moléculas de DNA se dividiram, um processo que pode causar câncer. Eles constataram ainda que, quanto maior a intensidade da radiação, maiores as alterações nas moléculas hereditárias.

A surpresa, no entanto, viria alguns dias depois. Enquanto as células expostas à radiação mais intensa repararam seus "danos" mais rapidamente, o número de rupturas corrigidas nas células menos expostas continuava inalterado.

Os cientistas concluíram a partir desta observação que o mecanismo de autocorreção começa a funcionar somente a partir de determinada intensidade da radiação a que o tecido foi exposto. Em baixas intensidades, como as usuais nos raios X, as rupturas permaneceriam por mais tempo. Até agora, acreditava-se que esta correção ocorria sempre, independente da dose de radiação.

As teorias dos biólogos da Universidade do Sarre são consideradas especulativas, pois ainda não precisam ser provadas em outras pesquisas. Por isso, destacam ter descoberto, também, que a radiação de baixa intensidade não necessariamente é mais perigosa do que se supunha até agora.

Nos seus testes, eles obtiveram indícios de que, embora não reparassem seus danos, as células expostas a baixa radiatividade geralmente morrem, não se desenvolvendo em tumor.

Raio X sem filme – Uma nova tecnologia anunciada em fevereiro último pela GE norte-americana permite a hospitais, clínicas e centros de diagnóstico transformar a radiografia em imagem digital. Com ela, os prestadores de serviço podem fazer pedidos online de exames e ter acesso a imagens dos pacientes em uma única estação de trabalho, que ainda permite ao médico checar a evolução do paciente. Com esta técnica, diminui em 90% o perigo da radiação em seres humanos.

Materiais radioativos estão presentes de forma natural na crosta terrestre, nas construções, nos alimentos e no nosso próprio corpo. Até no ar que respiramos existem partículas radioativas. O homem evoluiu exposto à radiação proveniente da terra e do espaço, chamada de radiação cósmica ou raios cósmicos. Existe também a radiação produzida pelo homem, como os raios X, e as causadas pelas explosões nucleares e centrais elétricas alimentadas por energia nuclear.

A radiação é um termo bastante amplo, que inclui fenômenos como luz, ondas de rádio, microondas e partículas carregadas eletricamente. Qualquer radiação, dependendo da intensidade, do tipo e da quantidade liberada, pode causar danos à saúde.

Principalmente após as explosões das bombas atômicas no Japão, no final da Segunda Guerra Mundial, os cientistas passaram a dedicar-se mais intensamente ao estudo das conseqüências da radiação sobre o ser humano. Concluíram, por exemplo, que após um curto período de exposição em dose muito alta e em todo o corpo, a pessoa morre em poucos dias.

Leia mais