1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Os melhores empregadores

União Européia faz lista com 100 firmas escolhidas pelos próprios funcionários como as melhores de se trabalhar. Alemanha presente na lista com 15 firmas. Schering melhor na igualdade de chances para homens e mulheres.

default

Schering, melhor empresa da UE em igualdade de chances

Com 15 firmas, a Alemanha tem o maior número de representantes na lista das 100 melhores empresas para se trabalhar nos 15 países da União Européia. Além da Microsoft Deutschland, que como vencedora na Alemanha entrou automaticamente na lista, foram premiadas, entre outras, a Hexal, a Procter & Gamble e a resseguradora Münchner Rück.

Na categoria "igualdade de chances para ambos os sexos", venceu a empresa farmacêutica alemã Schering. Já no aspecto "diversidade cultural", a ganhadora foi a Intel, da Bélgica (a candidata da Alemanha havia sido a subsidiária da Ford). A vitoriosa na categoria "aprendizado constante" foi a finlandesa Hannes Snellman.

A escolha havia sido realizada pela primeira vez na Alemanha. Os funcionários tiveram oportunidade de participar de uma avaliação que apontou os melhores empregadores do país, seguindo critérios diferenciados, como credibilidade da chefia, respeito entre patrão e empregado, imparcialidade, a identificação com seu trabalho, seus colegas, a chefia e a empresa, e o coleguismo no ambiente de trabalho.

Alemães satisfeitos com suas chefias

Podiam participar apenas firmas com mais de 50 empregados. De 3300 empresas convidadas na Alemanha, 123 participaram da competição. Estas, por sua vez, foram divididas em duas categorias, com mais ou menos de 500 empregados. A pesquisa – entre até 250 funcionários de cada candidata escolhidos ao acaso – foi realizada pela revista Capital, especializada em economia.

A pesquisa revelou que, em geral, a mão-de-obra alemã está satisfeita com seus patrões. As presidências e lideranças empresariais foram consideradas competentes por 75% dos questionados. No entanto, apenas 50% responderam que são perguntados pela administração da empresa antes de serem tomadas decisões importantes. Quanto ao salário que recebem, 70% o consideram justo. Por outro lado, 60% acham que a liderança da empresa manifesta claramente suas expectativas.

As 53 respostas do questionário foram avaliadas pelo instituto europeu de pesquisas econômicas Great Place to Work e pela empresa de pesquisas de mercado Psychonomics.

Links externos