1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Futurando!

Os grandes recordes de velocidade

No Futurando desta semana você confere que cientistas simularam uma viagem na velocidade da luz. Mas enquanto não se viaja a 300 mil quilômetros por segundo, quais seriam as maiores velocidades já alcançadas pelo homem?

A velocidade da luz, por definição, é de 299.792.458 metros por segundo. Sendo assim, a luz do Sol demora pouco mais de oito minutos para percorrer os cerca de 150 milhões de quilômetros que o separam da Terra. Os números são astronômicos e, pelo menos por enquanto, fisicamente impossíveis de se atingir.

Apesar de ainda não ter conseguido alcançar a velocidade da luz, o homem já ultrapassou a velocidade do som, que é de 340,29 metros por segundo. Ou seja, no nível do mar e em condição atmosférica padrão ela corresponde a 1.226 quilômetros por hora.

O piloto norte-americano Chuck Yeager foi o primeiro homem a quebrar a barreira do som. Em 14 de outubro de 1947, pilotando o protótipo de caça experimental Bell X-1, da Força Aérea dos Estados Unidos, ele ultrapassou essa velocidade, rompendo o Mach 1 (medida de velocidade) com um avião.

Red Bull Stratos - Felix Baumgartner

Baumgartner saltou da estratosfera e quebrou a barreira do som

Com o desenvolvimento da tecnologia e de novos motores, em 15 de outubro de 1997, o piloto da Real Força Aérea, Andy Green, conduziu um veículo com dois motores a jato – o Thust SSC – e conseguiu atingir a velocidade de 1.227,98 km/h. Foi a primeira vez que um veículo rompeu a barreira do som.

Recentemente, no dia 14 de outubro de 2012, o paraquedista austríaco Felix Baumgartner, de 43 anos, saltou de um balão na estratosfera, a 39 quilômetros de altura.

A Federação Aeronáutica Internacional confirmou que, durante a queda livre, Baumgartner atingiu uma velocidade de 1.342 km/h, ou seja, 1,24 vezes a velocidade do som. Isso fez dele a primeira pessoa a quebrar a barreira do som sem usar uma aeronave.

Autor: Antônio Netto
Revisão: Mariana Santos

Leia mais