1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Organizações alemãs enviam socorro médico ao Peru

Depois do forte terremoto que abalou o Peru, comunidade internacional anuncia ajuda financeira. Organizações humanitárias alemãs enviam principalmente médicos, enfermeiros e medicamentos.

default

Chances de encontrar sobreviventes diminuem

Em reação ao terremoto de oito pontos na escala Richter, que sacudiu a costa central do Peru nesta quarta-feira (15/08), a comunidade internacional anunciou auxílio imediato à região assolada por uma das piores catástrofes naturais na história do país.

Além das Nações Unidas e da Cruz Vermelha Internacional, as áreas mais afetadas, como Pisco, Ica e Chincha, podem contar com o auxílio financeiro da União Européia, que garantiu uma quantia de, no mínimo, um milhão de euros, bem como da Itália e da Alemanha, que anunciaram a liberação de 200 mil euros cada.

O Ministério das Relações Exteriores em Berlim informou nesta quinta-feira (17/08) que os recursos deverão ser aplicados em programas humanitários empreendidos por organizações alemãs de assistência em atuação no país, em cooperação com parceiros locais e o governo peruano.

No entanto, tais organizações apelam para que sejam feitas doações para que se possa garantir o suprimento de cobertores, alojamentos, medicamentos e artigos de higiene pessoal.

Acesso à região é difícil

Na noite de quinta-feira (16/08), uma comissão da organização humanitária I.S.A.R. Germany (International Search and Rescue) viajou para a região de crise, onde estima-se que o total de mortos já tenha passado de 500. Entre os membros da comissão, formada por quatro especialistas, há um médico, dois assistentes de resgate e um especialista no gerenciamento de crises.

"Gostaríamos de poder enviar mais pessoas ao Peru, mas está difícil conseguir vôos, já que temos que levar muito material, se quisermos realmente ajudar", disse o assessor de imprensa Tim Poluzyn à DW-WORLD.DE.

A equipe já transportou duas caixas de medicamentos, entre estes analgésicos e antibióticos, e mais uma tonelada está a caminho. "Preferimos nos concentrar no fornecimento de remédios, já que as chances de encontrar sobreviventes serão poucas até chegarmos lá. Há realmente muito poucos vôos."

Outra organização alemã a caminho do Peru é a humedica, que reagiu imediatamente ao pedido de ajuda de autoridades locais e enviou um grupo formado principalmente por médicos e enfermeiros ao Peru.

Leia mais