1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Opositor Alexei Navalny surpreende, mas perde eleição para prefeito de Moscou

Blogueiro e opositor Alexei Navalny conseguiu 27% dos votos e não reconheceu vitória do atual prefeito da maior cidade europeia, Serguei Sobianin. Próximo do presidente Vladimir Putin, ele conquistou 51% dos votos.

Um aliado do presidente russo Vladimir Putin venceu as eleições para prefeito de Moscou, realizadas neste domingo. Autoridades eleitorais russas declararam nesta segunda-feira (09/09) que Serguei Sobianin, de 55 anos, foi reeleito para a prefeitura da capital russa com 51,37% dos votos.

O blogueiro e líder da oposição Alexei Navalny, de 37 anos, conseguiu obter 27,24% dos votos – quase o dobro do que era esperado. Os votos obtidos por Sobianin dispensam a realização de um segundo turno, mas o coordenador da campanha eleitoral de Navalny afirmou durante a madrugada que a oposição não irá reconhecer o resultado.

Navalny, que ficou conhecido por suas campanhas contra a corrupção na Rússia e que emergiu como líder oposicionista após uma onda de protestos anti-Putin nos últimos anos, disse que os resultados teriam sido falsificados e que os números obtidos por sua equipe eleitoral mostrariam que Sobianin não teria obtido a maioria necessária para se reeleger neste domingo, apontando que ambos devem se enfrentar num segundo turno.

Além disso, segundo a oposição, ela teria testemunhas da compra de votos por parte do aliado de Vladimir Putin. Devido à forte campanha de Navalny, as eleições realizadas neste fim de semana foram as mais disputadas dos últimos dez anos. Para observadores independentes, elas valiam como teste tanto para Navalny quanto para a popularidade de Putin e de seus aliados.

No total, seis candidatos disputaram as eleições para a prefeitura de Moscou.

Oposição rejeita resultado

"Nós não aceitamos os resultados que estão sendo anunciados, e não desistiremos de um único voto que recebemos", disse Alexei Navalny, segundo o qual o resultado real esperado por seus apoiadores seria de 35%.

Suas observações levantam a possibilidade de uma nova disputa eleitoral na Rússia, após a paralisação dos protestos no ano passado, quando Vladimir Putin, um antigo espião soviético que está no poder de 2000, ganhou sua terceira eleição presidencial e adotou uma linha cada vez mais dura contra os dissidentes.

Sergej Sobjani

Serguei Sobianin, de 55 anos, foi reeleito

"Agora está claro que a contagem de votos foi conduzida com sérias violações, então consideramos que os resultados oficiais das eleições foram deliberadamente falsificados", afirmou o escritório de Navalny em declaração.

Da mesma forma, a organização independente Golos diz desconfiar de que Sobianin tenha obtido realmente mais de 50% dos votos no primeiro turno.

Eleições como teste

Por sua vez, o prefeito reeleito de Moscou apoiado pelo Kremlin avaliou o resultado eleitoral como uma rejeição por parte dos habitantes da capital russa a uma possível troca de poder na maior cidade europeia. "Quando se tenta transformar a cidade num campo de batalha político para uma revolução – então os moscovitas não precisam nada disso", declarou Sobianin, acrescentando que teria feito tudo em prol de uma eleição honesta.

Apesar da derrota, o bom resultado obtido por Navalny pode servir de alerta para o Kremlin e pode vir a incitar o enfraquecido movimento de protesto na Rússia. Para observadores independentes, Navalny obteve um resultado surpreendente e saiu fortalecido das eleições deste domingo.

No restante do país, o partido de Putin, Rússia Unida, ganhou a maioria dos mais de 7 mil pleitos locais e regionais realizados no país neste domingo. Houve sinais de resistência ao partido na cidade de Yekaterimburgo, capital dos Urais e a quarta maior cidade do país. Com 33,25% dos votos, o opositor Yevgeny Roizman parece ter chances de derrotar o favorito do partido no poder, Yakov Silin, que conquistou 29%.

CA/dpa/rtr/ap/afp

Leia mais