1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Oposição sul-africana elege primeiro líder negro

Mmusi Maimane é eleito pela Aliança Democrática, partido tido como representante dos interesses da população branca na África do Sul. Com eleição, legenda pretende ampliar seu apelo num país dividido em linhas raciais.

A Aliança Democrática (AD), tida como representante dos interesses da classe média branca na África do Sul, elegeu neste domingo (10/05) Mmusi Maimane, de 34 anos, como líder do partido, após a antecessora Helen Zille deixar o cargo depois de oito anos.

Ao iniciar seu discurso da vitória em seu idioma nativo, o xhosa, Maimane, de origem negra, afirmou aos seus correligionários que lutará por uma sociedade onde possa haver oportunidades iguais a todos. "Podemos transcender a desigualdade racial, mas isso apenas será possível se cada sul-africano reconhecer a injustiça do apartheid e se admitirmos que a desigualdade racial do passado ainda perdura nos dias de hoje", declarou.

"Muitos jovens sul-africanos continuam a ter acesso negado a oportunidades, assim como seus pais durante o apartheid. Isso é o que temos que mudar se quisermos prosperar como nação", acrescentou. Ao final do discurso, Maimane agradeceu sua esposa, uma mulher branca, antes de ser aplaudido de pé pelo publico.

Imprensa comemora mas analistas seguem céticos

A eleição de Maimane significa um "marco para a Aliança Democrática e para a política sul-africana", afirmou neste domingo o editorial do jornal sul-africano Sunday Times.

"Durante a maior parte das últimas décadas, nossa disputa política se limitou a rivalidade entre negros e brancos, onde o Congresso Nacional Africano (CNA) [partido do presidente sul-africano Jacob Zuma] era visto como representante dos oprimidos no passado e a AD como defensora dos interesses dos brancos", ressaltou o editorial.

Alguns analistas, no entanto, disseram que a eleição de Maimane não atrairá automaticamente os jovens eleitores da classe trabalhadora urbana, o que é o objetivo do partido.

"Se ele [o partido] não mudar nada, continuar dizendo as mesmas coisas e tendo as mesmas posições políticas, então muitas pessoas irão dizer: 'isso é um partido branco sendo liderado por um negro'", disse o diretor do Centro para o Estudo da Democracia na Universidade de Joanesburgo, Sreven Friedman.

"Obama do Soweto"

Maimane cresceu em Soweto, berço do movimento de resistência ao apartheid, mas rompeu os laços com o CNA – o partido do governo – ao se filiar à AD em 2009. Chamado de "Obama do Soweto" – comparação que ele rejeita – Maimane costuma discordar das políticas do CNA e do presidente Jacob Zuma.

A Aliança Democrática obteve 22% dos votos nas últimas eleições nacionais no ano passado, sua melhor performance até agora.

RC/afp/rtr/ap

Leia mais