1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Oposição nega apoio para proibição de partido neonazista

Por causa do escândalo de agentes secretos, os partidos governistas da Alemanha terão de prestar sozinhos os esclarecimentos exigidos pela corte constitucional sobre o pedido de proibição do partido neonazista NPD.

default

Confronto entre partidários do NPD e a polícia em Berlim

Os partidos de oposição conservadora democrata-cristã (CDU), social-cristã (CSU) e neocomunista (PDS) rejeitam a nova tomada de posição do Parlamento da Alemanha, junto ao Tribunal Federal Constitucional, sobre o pedido de proibição do Partido Nacional Democrata (NPD), neonazista.

Os neocomunistas anunciaram que não concordam com o documento que a Comissão do Interior aprovou nesta quarta-feira, por considerar as informações insuficientes. Os partidos de centro-direita, por sua vez, exigem que o documento seja alterado e insistem na renúncia do ministro do Interior, Otto Schily. Assim, os dois partidos governistas social-democrata (SPD) e o Verde terão que apresentar sozinhos o documento, até segunda-feira (11).

A corte constitucional em Karlsruhe paralisou o processo e exigiu uma nova posição do governo e do Parlamento, em 22 de janeiro, depois de descobrir que a principal testemunha foi um agente secreto infiltrado no partido neonazista.

O pedido de extinção do NPD havia sido apresentado, no final de 2001, em conjunto pelo governo e as câmaras baixa (Bundestag) e alta (Bundesrat) do Legislativo, com o apoio de todos os partidos políticos. As principais justificas do governo para o pedido de proibição do NPD é sua semelhança com o partido nazista de Adolf Hitler e o envolvimento de filiados em crimes contra estrangeiros.

O agente infiltrado que gerou a celeuma, Wolfgang Frenz, foi vice-presidente do NPD no Estado da Renânia do Norte-Vestfália e trabalhou para o serviço secreto como informante ocasional até 1995. Depois que a corte constitucional descobriu Frenz, o Ministério do Interior já teve de admitir que usou outros militantes do NPD como informantes desse partido neonazista.

Leia mais