1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Oposição alemã cobra explicações do governo sobre espionagem

Partidos pedem sanções contra principais envolvidos na cooperação entre agências de inteligência de Alemanha e EUA e colocam governo Merkel sob pressão. As legendas instaram ainda a saída do ministro do Interior alemão.

Parlamentares da comissão de inquérito do Bundestag pediram neste domingo (03/05) que o governo do país entregue até quinta-feira a lista dos alvos de espionagem por parte das agências de inteligência alemã e americana.

Já os partidos de oposição ameaçam impetrar uma ação judicial para obter mais informações sobre o assunto. A cooperação entre entre as duas agências e o uso dos dados para interesses próprios pelos alemães colocam pressão sobre a chanceler federal do país, Angela Merkel.

No centro do escândalo está o ministro do Interior alemão, Thomas de Maizière, do União Democrata Cristã (CDU), que era chefe de gabinete da chancelaria entre novembro de 2005 e outubro de 2009. A troca de dados entre os serviços secretos alemão e americano teria ocorrido entre 2002 e 2010.

"Angela Merkel tem que mostrar agora se ela quer se explicar ou encobrir [o assunto]", afirmou Konstantin Von Notz, um dos líderes do Partido Verde, de oposição à coalizão que rege o governo alemão. Von Notz e a líder da legenda, Martina Renner, alertaram que podem mover uma ação na Justiça sobre o assunto.

O partido A Esquerda, também de oposição, pediu a destituição do ministro Maizière, seus sucessores Peter Altmaier e Ronald Porfalla, como também do atual ministro do Exterior alemão, Frank-Walter Steinmeier, do Partido Social-Democrata (SPD), que era chefe de gabinete entre 1999 e 2005.

Bundesinnenminister Thomas de Maizière Winterklausur CSU-Landesgruppe

Partidos pedem que Thomas De Maizière seja demitido do cargo

Não apenas a oposição, mas também o parceiro da coalizão do governo, o SPD, pediu a demissão do ministro Maizière. Johanna Uekermann, chefe da ala jovem do SPD, afirmou ao jornal Welt am Sonntag neste domingo que "Angela Merkel deveria censurar seus funcionários".

A deputada Eva Högl, do SPD, pediu a completa reorganização do aparato de inteligência alemão em um comentário publicado no site da revista Spiegel. Um dos presidentes da comissão de inquérito do Bundestag sobre o caso de espionagem, o político Christian Flisek, do SPD, afirmou que "não vamos permitir que a entrega da lista seja atrasada".

O escândalo sobre a cooperação entre as agências alemã e americana, além da espionagem de alvos europeus por alemães, serão discutidos pelo Bundestag nesta quarta-feira. Em uma reunião do comitê parlamentar sobre o caso da NSA na última quinta-feira, o chefe do BND, Gerhard Schindler, foi convidado a dar seu testemunho.

De acordo com reportagem publicada pela revista alemã Spiegel, o Departamento Federal de Informações da Alemanha (BND) é acusado de cooperar com a Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA para espionar empresas e políticos europeus, incluindo o governo francês e a Comissão Europeia.

De acordo com alegações feitas por alguns veículos alemães, o BND teria também usado os dados interceptados para interesses próprios.

FC/dpa/rtr/afp/ap/efe

Leia mais