1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Operador de fórum na internet deve retirar opiniões ofensivas

Decisão da Corte Federal de Justiça da Alemanha aumenta proteção a vítimas de calúnias em espaços de discussão na internet.

default

Ofensas à honra devem ser retiradas de fóruns

Quem promove um fórum na internet na Alemanha é responsável por seu conteúdo, inclusive por informações ou opiniões caluniosas veiculadas pelos usuários nas discussões. Com esta decisão, a Corte Federal de Justiça (CFJ) do país pretende facilitar a defesa das vítimas de calúnias neste veículo de comunicação.

De acordo com a sentença, o responsável pelo fórum pode ser processado se não apagar imediatamente um conteúdo ofensivo à honra de outra pessoa. Para isso, o ofendido não precisa obrigatoriamente se dirigir primeiro ao ofensor para exigir uma correção ou reparação.

O caso que deu origem a essa decisão foi a briga entre uma associação de combate à pedofilia e o "dono" de um fórum sobre o assunto. Sob o manto de um pseudônimo, um usuário levantou suspeitas sobre as intenções da associação e a acusou de pedofilia. O presidente da entidade entrou com queixa contra o operador do fórum, mas este argumentou que não era responsável pelas opiniões dos usuários.

O Superior Tribunal de Düsseldorf decidiu que o operador só é responsável no caso de autores anônimos. A vítima deve processar diretamente o autor da calúnia, quando este lhe for conhecido, dizia a sentença da Justiça regional.

No julgamento do recurso, a Corte Federal de Justiça foi mais longe. Agora, a vítima pode processar não só o caluniador. Quem promove um fórum é obrigado a apagar as informações ofensivas, assim que tomar conhecimento delas. Do contrário, estará sujeito a ação de omissão, independentemente de quem foi o autor da calúnia, decidiu a corte.

"É claro que o caso tem um amplo significado prático", disse a vice-presidente da CFJ, Gerda Muller. A Corte Federal de Justiça devolveu o caso ao Superior Tribunal de Düsseldorf, para que este pronuncie a sentença final.

Leia mais