Onze operários morreram em obras da Rio 2016 | Leia notícias sobre o maior evento esportivo do planeta | DW | 25.04.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Jogos Olímpicos

Onze operários morreram em obras da Rio 2016

Maior número de acidentes fatais é registrado em obra da linha 4 do metrô, com três mortes. Falta de planejamento contribui para cenário, afirma Superintendência Regional do Trabalho e Emprego.

default

Obras entorno do Parque Olímpico também registram mortes

As obras dos Jogos Olímpicos Rio 2016 causaram a morte de onze operários desde 2013, afirmou nesta segunda-feira (25/04) a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro. O maior número de acidentes fatais foi registrado na linha 4 do metrô, onde três pessoas morreram.

"É um número assustador", disse o auditor fiscal do trabalho Robson Leite, comparando o número com o de mortes registrado em obras para a Copa de 2014, nas quais oito operários morreram em todo o país.

Acidentes fatais ocorreram ainda nas obras do entorno do Parque Olímpico, no Museu da Imagem e do Som, no Museu do Amanhã, nas obras de ampliação do Elevado de Joá, na Nova Subida da Serra, na Supervia e na Transolímpica.

De acordo com Elaine Castilho, auditora fiscal e coordenadora do trabalho de fiscalização, houve ainda dois casos de acidentes graves: um choque elétrico no Parque Olímpico e uma amputação da perna de um funcionário na Transbrasil.

"É um time de futebol de mortos. Isso tudo causado por falta de planejamento, sem dúvida. É a correria na hora de finalizar", lamentou Castilho.

A superintendência realizou 260 ações de fiscalização, com 1.675 autos de infração e 38 interdições e embargos. Os acidentes ocorrem entre janeiro de 2013 e março de 2016.

CN/lusa/afp

Leia mais