ONU suspende ajuda humanitária na Síria | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 20.09.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

ONU suspende ajuda humanitária na Síria

Nações Unidas interrompem auxílio depois de ataque a comboio que deixou 20 mortos. EUA acusam Rússia e Síria, que negam com veemência terem bombardeado caminhões que transportavam produtos de primeira necessidade.

Urum al-Kubra, no oeste de Aleppo

Caminhão de ajuda humanitária que foi destruído perto da cidade de Urum al-Kubra, no oeste de Aleppo

O Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários das Nações Unidas (OCHA) anunciou nesta terça-feira (20/09) que todas as operações humanitárias na Síria estão suspensas após o ataque aéreo a um comboio de ajuda humanitária na região de Aleppo, na segunda-feira.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha afirmou que cerca de 20 civis morreram no ataque. Entre os mortos está o chefe do Crescente Vermelho da Síria, que também afirmou que vai suspender seu trabalho na província de Aleppo por três dias em protesto pelo ataque.

Os Estados Unidos responsabilizaram a Rússia e a Síria pelo ataque e disseram que vão reavaliar a cooperação com os russos. O Ministério da Defesa da Rússia, porém, negou enfaticamente que aeronaves russas ou sírias tenham atacado o comboio. Síria também negou que seus aviões sejam responsáveis pelo ataque.

"Não há sinais de cratera e os automóveis também não apresentam danos no chassi como resultado de um choque explosivo", afirmou o porta-voz do Ministério russo da Defesa, Igor Konashenkov, alegando que o comboio não sofreu nenhum ataque aéreo.

Segundo ele, o que se vê nas imagens "é consequência direta do incêndio da carga, que misteriosamente começou de forma simultânea com a ofensiva das milícias sobre Aleppo. Toda informação sobre a localização do comboio estava disponível apenas aos militantes que controlam essas áreas", acrescentou.

Syrien Angriff auf Hilfskonvoi

Caminhão de ajuda humanitária em Urum al-Kubra, no oeste de Aleppo

Um comboio humanitário das Nações Unidas e do Crescente Vermelho foi atacado nas proximidades da cidade de Urum al-Kubra, no oeste de Aleppo. Dos 31 caminhões, 18 foram destruídos. O OCHA ressaltou que o comboio tinha a autorização das autoridades para atravessar o território e distribuir assistência humanitária, que todas as partes beligerantes estavam informadas sobre sua trajetória e que estava claramente marcado como humanitário.

O chefe da ajuda humanitária da ONU, Stephen O'Brien, disse que muitas pessoas morreram ou ficaram seriamente feridas. "Vou ser bem claro: se esse ataque cruel mirou intencionalmente ajuda humanitária, isso significa crime de guerra", afirmou. "Não há nenhuma explicação ou desculpa, nenhuma razão ou racionalidade que explique o ataque a trabalhadores humanitários que tentam ajudar cidadãos que necessitam de ajuda de forma desesperada", disse.

Os caminhões transportavam ajuda de primeira necessidade, como comida, roupas e medicamentos, para 78 mil pessoas que sobrevivem em Urum al-Kubra, no oeste da província síria de Aleppo, e que não recebem assistência desde julho.

AS/efe/ap/afp/rtr

Leia mais