ONU reconhece Conselho de Transição e suaviza sanções contra a Líbia | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 17.09.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

ONU reconhece Conselho de Transição e suaviza sanções contra a Líbia

Assembleia Geral da ONU fortalece o papel do governo de transição na Líbia, reconhecendo-o como representante do país. Conselho de Segurança também decide abrandar sanções impostas à Líbia.

Rebeldes tentam conquistar Bani Walid

Rebeldes tentam conquistar Bani Walid

Nesta sexta-feira (16/09), 114 dos 193 países-membros das Nações Unidas  votaram a favor de que o Conselho Nacional de Transição (CNT) assuma a representação da Líbia nas Nações Unidas. Houve 17 votos contra e 15 abstenções.

Governos latino-americanos de esquerda, sobretudo da Venezuela, opuseram-se à decisão. O Brasil, todavia, votou a favor do reconhecimento do governo rebelde líbio. Alguns países africanos exigiram que a votação fosse adiada, para que pudessem obter mais informações sobre a situação na Líbia.

Segundo representantes da ONU, espera-se que o antigo embaixador da Líbia na organização, Abdulrrahman Shalgham, reassuma seu posto em Nova York. Anteriormente, Shalgham havia seguido o exemplo de vários diplomatas líbios, distanciando-se de Muammar Kadafi durante a repressão brutal das manifestações rebeldes.

Resolução do Conselho de Segurança

Também na sexta-feira, o Conselho de Segurança aprovou por unanimidade uma resolução que suspende todas as medidas punitivas contra a companhia estatal petrolífera da Líbia. As somas bilionárias, que estavam congeladas devido à ação violenta de Kadafi contra o movimento de oposição, devem ser colocadas à disposição do povo líbio "o mais rápido possível"

Na resolução, o Conselho de Segurança saúda a "melhoria da situação" na Líbia, mas adverte dos perigos advindos da distribuição descontrolada de armas do arsenal das tropas de Kadafi. "Isso poderia afetar a paz e a estabilidade na região."

A resolução prevê ainda o envio de uma missão da ONU que deverá apoiar o Conselho de Transição na organização de eleições e na elaboração de uma Constituição para o país.

Mustafa Abdul Jalil chefia o governo de transição na Líbia

Mustafa Abdul Jalil chefia o governo de transição na Líbia

Mustafa Abdul Jalil

A resolução apresentada pelo Reino Unido também permite o fornecimento de armas e apoio técnico para o governo de transição. A zona de exclusão aérea, no entanto, deverá permanecer, mesmo que a Rússia tenha exigido um fim da medida a curto prazo.

Na próxima semana, o presidente do Conselho Nacional de Transição, Mustafa Abdul Jalil, irá participar dos debates na ONU. Na ocasião, ele se encontrará com o presidente norte-americano, Barack Obama. Segundo informações da Casa Branca, o encontro se realizará na próxima terça-feira (20/09), em Nova York, onde Obama participa de uma reunião do Grupo de Contato para a Líbia, sob a direção do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

Enquanto isso, o ex-ditador ainda continua foragido. O mandado de prisão pelo Tribunal Penal Internacional e as sanções impostas a Kadafi e seus seguidores continuam válidas. Na Líbia, no entanto, o avanço em direção aos últimos bastiões de Kadafi está paralisado.

Tropas rebeldes interromperam o ataque à cidade de Bani Walid, nesta sexta-feira, após encontrarem forte resistência dos que continuam apoiando Kadafi. Um porta-voz do ex-ditador informou que diversos rebeldes teriam sido mortos ou presos durante o ataque.

CA/afp/rtr/dapd/dpa

Revisão: Soraia Vilela

Leia mais