1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

ONU pressiona UE a tomar medidas em prol de refugiados

Em texto conjunto, agências das Nações Unidas pedem ao bloco que se comprometa a receber mais migrantes e crie com urgência operação de resgate no Mediterrâneo. Líderes europeus discutem tema em Bruxelas.

default

Protesto em Bruxelas, durante a reunião de líderes europeus sobre a questão dos refugiados

A ONU apelou nesta quinta-feira (23/04) à União Europeia para que crie com urgência uma operação de resgate de imigrantes no mar e se comprometa a receber um número significativamente maior de refugiados. O pedido chega no dia em que líderes do bloco se encontram, em reunião de emergência em Bruxelas, para debater o tema.

"A resposta da União Europeia precisa ir além da abordagem minimalista atual, focada fundamentalmente em conter a chegada de migrantes e refugiados à sua costa", diz um comunicado conjunto assinado por diferentes agências da ONU.

O comunicado leva a assinatura dos chefes das agências de Direitos Humanos e para Refugiados, Zeid Ra'ad Al Hussein e António Guterres, respectivamente; do representante especial das Nações Unidas para migração, Peter Sutherland; e de William Lacy Swing, chefe da Organização Mundial de Migração.

Nesta quinta-feira, foi divulgado um estudo do governo italiano que prevê que, caso medidas não sejam tomadas, cerca de 5 mil imigrantes chegarão por semana à Itália pelo mar provenientes de portos do Norte da África nos próximos meses.

Os números, publicados pelo jornal Il Messaggero e confirmados por uma fonte do Ministério do Interior, apontam que 200 mil refugiados podem chegar à Itália até o fim do ano.

A chegada de migrantes normalmente aumenta nos meses de primavera e verão na Europa, devido a melhores condições meteorológicas no Mediterrâneo. A situação pode ser agravada devido ao caos político na Líbia, de onde parte a maioria dos refugiados.

Na reunião desta quinta, um dos pontos que divide os líderes europeus é a necessidade de reforçar a solidariedade entre os Estados-membros para tramitar melhor o acolhimento de pessoas consideradas com direito a receber asilo. Atualmente, o processo se concentra em alguns poucos países, principalmente a Alemanha.

A ONU pediu à UE que acolha 135 mil refugiados oriundos da Síria, por exemplo, mas até agora o bloco comunitário só ofereceu 36 mil vagas.

RPR/dpa/rtr

Leia mais