1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

ONU pede reforço no resgate de migrantes no Sudeste Asiático

Agências das Nações Unidas apelam para que Indonésia, Malásia e Tailândia parem de expulsar barcos de suas águas territoriais e permitam o desembarque de milhares que se encontram em alto-mar. Filipinas oferecem ajuda.

As Nações Unidas apelaram nesta terça-feira (19/05) à Indonésia, Malásia e Tailândia para que reforcem e acelerem as operações de resgate marítimo e permitam a chegada à terra firme de cerca de 4 mil pessoas que se encontram em alto-mar.

Os migrantes, entre eles centenas de crianças, saíram de Myanmar e Bangladesh e agora estão à deriva em botes, com poucos mantimentos, segundo informações da Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur). Ainda de acordo com a agência, pelo menos cinco embarcações estão ancoradas há pelo menos 40 dias.

Em um comunicado conjunto, a Acnur e o Escritório do Alto Comissário da ONU para os Direitos Humanos, assim como a Organização Internacional para a Migração, pediram que os governos indonésio, malásio e tailandês parem de expulsar os botes para fora de suas águas territoriais.

A nota diz que os países do Sudeste Asiático deveriam garantir o desembarque dessas pessoas "em um lugar seguro, com condições de recepção adequadas e humanas", além de realizar procedimentos de controle para identificar refugiados, pessoas em busca de asilo, apátridas ou vítimas de tráfico humano.

Indonésia, Malásia e Tailândia receberam condenação internacional ao expulsarem de suas águas barcos lotados com pessoas da minoria muçulmana rohingya, famintas e desesperadas. Segundo a ONU, desde o ano passado mais de 88 mil migrantes se lançaram em arriscadas viagens marítimas.

Pescadores proibidos de ajudar

Os líderes dos três países

se reunirão nesta quarta-feira

para discutir a situação, considerada pelas Nações Unidas uma crise humanitária iminente. No entanto, o governo da Indonésia já declarou nesta terça-feira que já faz "mais do que deveria" para ajudar as centenas de refugiados, segundo o ministro do Exterior Retno Marsudi.

"Este problema da imigração irregular não é de apenas um ou dois países. É um problema regional que também acontece em outros lugares. É também um problema global", declarou Marsudi. O ministro disse ainda que o país recebeu, na semana passada, 1.346 migrantes rohingya e bengaleses.

O Exército da Indonésia ordenou aos pescadores que não prestem ajuda aos refugiados no mar, como confirmou o porta-voz militar Fuad Basya. "Segundo informações, os refugiados jogam pessoas intencionalmente no mar para que os pescadores as resgatem. Estamos dando instruções a eles para que não as coloquem a bordo, apenas se estiverem se afogando".

O governo das Filipinas, por sua vez, ofereceu ajuda aos refugiados. "Faremos o que for necessário", disse um porta-voz do governo. "Temos a obrigação de ajudar os que buscam asilo", declarou um porta-voz do Ministério filipino do Exterior. Nenhum deles, no entanto,esclareceu como a ajuda será prestada.

MSB/dpa/rtr/ap/afp

Leia mais