1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

ONU aprova sanções propostas por europeus contra o Irã

Resolução proposta pela Alemanha, França e Reino Unido é aprovada por unanimidade pelo Conselho de Segurança da ONU. Merkel diz que decisão é sinal de coesão da comunidade internacional no conflito nuclear com o Irã.

default

Conselho de Segurança aprovou sanções contra governo em Teerã

Os 15 membros do Conselho de Segurança (CS) das Nações Unidas aprovaram por unanimidade neste sábado (23/12) uma resolução proposta por países europeus impondo sanções contra o Irã, que se recusa a suspender seu polêmico programa nuclear.

A resolução, proposta pela Alemanha, França e Reino Unido, proíbe todos os países-membros da ONU de fornecer ao Irã materiais e tecnologia que possam contribuir para o programa nuclear e de mísseis do país. Também impõe o congelamento de ativos de empresas e indivíduos que participam dos programas iranianos.

O Irã é conclamado a suspender imediatamente todas as atividades de seu programa nuclear. Dentro de 60 dias, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) irá averiguar se Teerã cumpriu esta determinação.

O texto prevê que, se o Irã se recusar a acatar a resolução, poderão ser adotadas mais sanções de caráter não-militar. Imediatamente após a decisão do CS, o governo iraniano informou que dará continuidade ao seu programa nuclear.

Reações de Berlim

EU Deutschland Angela Merkel Flagge

Merkel: sinal de coesão da comunidade internacional

A aprovação das sanções, após dois meses de fracassadas negociações com o Irã, só foi possível após a Rússia concordar com o texto, modificado várias vezes nos últimos dias. A meta da resolução é forçar Teerã a suspender o enriquecimento de urânio.

A chanceler federal alemã, Angela Merkel, disse que a decisão unânime do Conselho de Segurança é "um importante sinal de coesão da comunidade internacional, após o Irã não ter cumprido seus compromissos e suas promessas", informou a Chancelaria Federal em Berlim.

O ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, disse em Berlim que a resolução se tornou necessária, após o Irã ignorar as exigências feitas pela comunidade internacional. Ele conclamou o Teerã a acatar a decisão do CS, "a fim de abrir caminho para o início de negociações".

Teerã ataca Conselho de Segurança

O governo iraniano classificou as sanções como "ilegais". O embaixador do país na ONU disse que elas são a "prova de que o Irã é tratado injustamente" e que a resolução compromete a credibilidade do Conselho de Segurança.

Uma resolução aprovada pelo CS em 31 de julho desde ano, exigindo que o Irã suspendesse suas atividades nucleares até 31 de agosto, foi simplesmente ignorada por Teerã.

Leia mais

  • Data 23.12.2006
  • Autoria (gh)
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente http://p.dw.com/p/9bcJ
  • Data 23.12.2006
  • Autoria (gh)
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente http://p.dw.com/p/9bcJ