1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

OMS anuncia teste de vacinas contra ebola na África

Ideia da Organização Mundial da Saúde é começar em dezembro, provavelmente na Libéria. Centenas de milhares de doses deverão estar disponíveis em 2015. UE confirma 1 bilhão de euros em ajuda ao combate à epidemia.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta sexta-feira (24/10) que os primeiros testes de vacinas contra o ebola na África Ocidental deverão começar em dezembro, e que centenas de milhares de doses poderão estar disponíveis em meados de 2015.

"Tudo está sendo preparado para começar os testes nos países afetados ainda em dezembro", afirmou a diretora-geral adjunta da OMS, Marie-Paule Kieny.

Na quinta-feira, a OMS se reuniu a portas fechadas com peritos médicos, responsáveis de países afetados pela epidemia, empresas farmacêuticas e organizações financeiras.

Neste momento, há duas vacinas experimentais que são as principais candidatas aos testes, uma oriunda do Canadá, a outra de uma empresa farmacêutica britânica. Existem ainda outras cinco sendo avaliadas e que poderão entrar na fase de testes em março.

As duas mais avançadas são a da empresa GlaxoSmithKline, em cooperação com autoridades de saúde dos EUA, e a da agência de saúde pública do Canadá.

Kieny indicou que o plano inicial é começar pela Libéria, e que há discussões com Serra Leoa e Guiné-Conacri para que ambos sejam incluídos nos testes da vacina.

Por ora, os testes estão na fase inicial, de avaliações clínicas em vários países europeus e africanos, em que se tentará garantir que os produtos são eficazes e seguros.

"A vacina não é uma 'bala mágica' [contra o vírus]", alertou Kieny, prometendo que, quando estiver pronta, ela estará no centro dos esforços para deter a epidemia.

Cerca de 10 mil pessoas foram infectadas e mais de 4.900 morreram vítimas do ebola, segundo dados da Organização Mundial da Saúde.

Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conacri são os países mais atingidos pela epidemia, que também já causou mortes em Nigéria, Estados Unidos e Espanha.

Também nesta sexta-feira, a União Europeia (UE) confirmou que ampliará para 1 bilhão de euros a sua verba para o combate à epidemia de ebola, como anunciou o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy.

Os líderes europeus, que se reuniram por dois dias em Bruxelas, deram assim o seu aval a uma proposta do primeiro-ministro britânico, David Cameron, de quase duplicar o valor da ajuda europeia, que é atualmente da ordem dos 600 milhões de euros.

AS/lusa/ap/afp

Leia mais