1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

OMS alerta para risco de alastramento de peste negra em Madagascar

OMS confirmou 116 casos de infecção e pelo menos 40 mortes. Órgão teme que enfermidade se espalhe rapidamente no país. Transmitida por ratos, doença dizimou quase um terço dos europeus durante Idade Média.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), um surto de peste de bubônica em Madagascar já causou desde agosto, ao todo, 119 casos de infecção, tendo sido pelo menos 40 deles letais. A entidade teme que a doença, que custou a vida de quase um terço da população europeia na Idade Média, se espalhe rapidamente pelo país africano.

"A situação é ainda mais complicada devido ao alto grau de resistência à deltametrina – inseticida usado no controle das pulgas – que está sendo observado na região", afirmou a OMS nesta sexta-feira (21/11).

Dois casos e uma morte foram registrados em Antananarivo, capital do país. As infecções na cidade podem ser espalhar rapidamente, devido à "elevada densidade populacional e a fraqueza do sistema de saúde", alertou a OMS.

O primeiro caso doença foi registrado no país no dia 31 de agosto em uma vila próxima a Tsiroanomandidy, que fica na região central. No início de novembro, as autoridades do país informaram à OMS sobre o surto da doença.

Pandemia na Idade Média

A peste negra é transmitida entre roedores através de pulgas. Se um humano é picado por uma pulga infectada, ele tende a desenvolver uma forma da doença que causa infecção nas glândulas linfáticas e pode ser tratada com antibióticos.

Mas se a bactéria atinge o pulmão, o paciente desenvolve a peste pneumônica, que é transmitida de pessoa para pessoa através da tosse. Essa é a forma mais perigosa da doença e pode matar em 24 horas. Segundo a OMS, 2% dos casos confirmados em Madagascar eram desse tipo.

Os sintomas da doença são febre alta, dor de cabeça, dificuldade respiratória, tosse e catarro com sangue escuro. Se não tratada corretamente, a peste quase sempre é fatal.

O último surto de peste negra havia sido registrado no Peru em agosto de 2010. O primeiro registro de caso dessa doença aparece no século 6, na região do Mar Mediterrâneo. Nos 200 anos seguintes, estima-se que mais de 25 milhões de pessoas no mundo morreram de peste.

Entre os anos de 1347 e 1352, uma pandemia de peste negra tomou conta da Europa. Dezenas de milhões de pessoas morreram da doença. A bactéria causadora foi descoberta em 1894. Atualmente, as chances de cura são bem elevadas, devido aos antibióticos.

CN/rtr/dpa/afp

Leia mais