1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Oito crianças são encontradas mortas em casa na Austrália

Mãe de sete das crianças e parente da oitava foi levada para o hospiral com ferimentos de facadas, mas em condição estável. "A Austrália vive dias difíceis", declara premiê Tony Abbott.

Oito crianças foram encontradas mortas numa casa na cidade costeira de Cairns, no norte da Austrália, comunicou a polícia local nesta sexta-feira (19/12). Além disso, uma mulher de 34 anos, com ferimentos de facadas no peito, foi levada a um hospital e estaria em condição estável.

Após a imprensa australiana ter noticiado, o inspetor Bruno Asnicar confirmou que a mulher é mãe de sete das crianças e parente da oitava. As vítimas tinham idades entre 18 meses e 15 anos.

"No momento não há nenhum motivo para a sociedade se preocupar com este incidente, que nada mais é do que um evento muito, muito trágico. A situação está controlada. Não deve haver qualquer preocupação para pessoas fora deste círculo", disse Asnicar.

A polícia está interrogando um jovem de 20 anos. Ele é irmão das crianças e teria alertado as autoridades. Além disso, um outro homem, que foi visto circulando a propriedade depois que a polícia foi chamada, também deve ser levado para interrogatório.

"Todos que tiveram qualquer envolvimento [com as vítimas] nos últimos dois ou três dias são pessoas de interesse", disse o inspetor. Asnicar se recusou a explicar como as crianças morreram. Equipes forenses ainda estão coletando evidências na casa.

Pela segunda vez nesta semana, o primeiro-ministro australiano Tony Abbott viu-se obrigado dar declarações sobre uma tragédia em seu país. "As notícias vindas de Cairns são de partir o coração", afirmou Abbott através de um comunicado. "Este é um crime horrível. Hoje à noite haverá lágrimas e orações por todo o país para estas crianças."

"A Austrália vive dias difíceis", lamentou ainda Abbott. No início da semana, um extremista islâmico fez 17 reféns em uma cafeteira em Sydney. O sequestro durou 16 horas e resultou nas mortes do próprio sequestrador e de dois civis.

PV/lusa/ap

Leia mais