Odebrecht pagará 59 milhões de dólares ao Panamá | Notícias sobre a América Latina e as relações bilaterais | DW | 12.01.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Odebrecht pagará 59 milhões de dólares ao Panamá

Empreiteira brasileira depositará quantia em fundo de garantia até fim de investigações sobre esquema de corrupção. Valor seria equivalente ao destinado a pagamentos de suborno pela empresa no país.

Sede da Odebrecht em São Paulo

Sede da Odebrecht em São Paulo

A empreiteira Odebrecht se comprometeu a pagar 59 milhões de dólares ao Panamá como fundo de garantia enquanto estiver sendo investigada sobre um esquema de corrupção e subornos, anunciou nesta quinta-feira (12/01) a procuradora-geral panamenha, Kenia Porcell.

O valor foi estipulado com base numa investigação dos Estados Unidos. No âmbito de uma investigação internacional por corrupção em vários países, o Departamento americano de Justiça afirmou que a Odebrecht teria pagado 59 milhões de dólares em subornos a funcionários panamenhos.

"A Odebrecht manifestou seu desejo de colaborar efetivamente com as investigações no Panamá", destacou Porcell.

Em dezembro, o Panamá criou uma procuradoria especial anticorrupção para investigar as denúncias de pagamentos de subornos no país. Os supostos pagamentos ilícitos pela construtora foram realizados entre 2010 e 2014, portanto durante a administração de Ricardo Martinelli, que foi presidente do país de 2009 a 2014 e vive um exílio voluntário em Miami, EUA. O Panamá pediu sua extradição para inquérito por alegações de corrupção.

Leia mais: Entenda o "maior caso de suborno da história"

Em dezembro, o governo panamenho proibiu também a Odebrecht de participar de novas licitações de obras públicas no país até que a construtora brasileira devolva o dinheiro desviado.

No Panamá, a Odebrecht está envolvida em grandes projetos de infraestrutura, como a ampliação do aeroporto de Tocumen, a construção da linha 2 do metrô na capital e a restauração da cidade de Colón.

CN/efe

Leia mais