Obras atribuídas a Hitler devem alcançar preços altos em leilão britânico | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 09.04.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Obras atribuídas a Hitler devem alcançar preços altos em leilão britânico

Hitler nunca teve sucesso como artista, mas suas supostas obras têm sido vendidas em leilões a preços cada vez mais altos. Aparentemente, não são neonazistas que as compram, mas aficionados por história e colecionadores.

default

Leiloeiro britânico com obra atribuída a Hitler, vendida a quase US$20 mil em 2006

Não é nenhuma surpresa quando as obras de artistas famosos são vendidas a preços exorbitantes. Talvez o mais surpreendente seja o fato de que desenhos e aquarelas de Adolf Hitler tenham conseguido preços semelhantes em leilões recentes.

Em um leilão em abril passado, a casa de leilões britânica Mullock's ofereceu 15 obras de Hitler, conseguindo arrecadar uma soma em torno de 140 mil euros (187 mil dólares). Na próxima semana, a Mullock's realizará novo leilão. Outras 22 obras de autoria de Hitler, ao lado de objetos da época da Segunda Guerra Mundial, devem ser vendidas por preços que vão de 4,5 mil a 17 mil euros.

Mullock's não é o único local que vende as infames obras do ditador alemão. Uma casa de leilões de Nurembergue desencadeou protestos no ano passado depois de vender duas obras de Hitler por, ao todo, 32 mil euros.

Versteigerung von Hitler-Bildern in London

Pintura atribuída ao ditador, leiloada ano passado

Já o colecionador americano Charles Snyder Jr. negocia trabalhos de Hitler há décadas. Seu site lista obras como uma aquarela de 70 mil dólares intitulada O Arco do Triunfo, em Munique 1914.

"Considerando-se apenas o valor artístico das obras, esses preços são elevados demais", avaliou o especialista em arte contemporânea Stephan Diederich, em entrevista à Deutsche Welle. "Eu diria que, por um motivo qualquer, os compradores estão menos interessados em arte e mais interessados em peças que remetam a Hitler."

Suposições erradas

Mas muitas pessoas acham, erradamente, que os compradores são simpatizantes nazistas ou neonazistas, afirmou Richard Westwood-Brookes, da casa de leilões Mullock's. "No ano passado, o interesse dos nossos compradores não partia nem do ponto de vista histórico nem do artístico. Acho que eles se interessaram em adquirir a obra de um artista frustrado dos mais conhecidos", explicou

As obras leiloadas no ano passado foram levadas à Mullock's por um homem que as tinha comprado por um preço irrisório décadas atrás. Ele esperava ganhar com as 15 peças o suficiente para cobrir as despesas de alguns reparos em sua casa. Tanto ele como o leiloeiro Westwood-Brookes ficaram surpresos depois que as obras alcançaram preços que ultrapassavam cinco a dez vezes o valor estimado.

Desde que a notícia da venda realizada no ano passado se espalhou, Westwood-Brookes lembra que já foi contatado por três vendedores interessados em leiloar suas peças. Entre eles, está um austríaco que descobriu as peças em um baú, depois de comprar uma propriedade completa na Áustria, e um artista que vive na França, que estava interessado em examinar as deficiências dos desenhos.

Tendo em conta o aumento constante do preço das obras atribuídas a Hitler, alguns compradores podem até mesmo considerar suas aquisições como um investimento.

Falsificações não são descartadas

Até agora, aparentemente, as obras comercializadas pela Mullock's foram compradas e vendidas exclusivamente por particulares, e não por museus ou galerias. Colecionadores russos estariam particularmente interessados na compra de tais obras em leilão, de acordo com Westwood-Brookes.

Erneut Hitler-Aquarelle unter dem Hammer

Supostas aquarelas de Hitler leiloadas em Nurembergue

Mas a aparente demanda pela arte de Hitler, combinada com sua proveniência, também levou muitas vezes à proliferação de falsificações. Em entrevista ao jornal alemão Die Welt, Westwood-Brookes admitiu ser impossível constatar com segurança a autenticidade das obras.

"Nós podemos coletar opiniões de tantos especialistas quanto quisermos, mas, no final, você tem que decidir se acredita neles", disse. "Só o que podemos fazer é colocar esses objetos à disposição da avaliação pública e disponibilizar o máximo de informações sobre eles."

A questão, portanto, permanece em aberto, não apenas no que diz respeito à autenticidade das obras, mas quanto ao valor que compradores podem esperar para pagar por elas no futuro.

Author: Greg Wiser (md)
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais