1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Obama reitera apoio durante encontro com novo presidente da Ucrânia

Líderes debateram meios de restaurar a paz no país, impulsionar a economia e reduzir a dependência energética da Rússia. Obama destaca apoio à segurança do Leste Europeu.

O presidente dos EUA, Barack Obama, reuniu-se nesta quarta-feira (04/06) com o recém-eleito presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko. Durante o encontro em Varsóvia, na Polônia, Obama demonstrou seu apoio ao novo regime em Kiev e discutiu meios de os Estados Unidos ajudarem a Ucrânia a enfrentar a atual crise.

A reunião dos dois líderes ocorreu durante a visita oficial de Obama à Polônia, onde ele participa das comemorações do 25º aniversário das primeiras eleições democráticas do país após o período comunista. A viagem do presidente americano à Europa foi planejada para amenizar as preocupações com segurança no Leste Europeu, depois da anexação da Crimeia pela Rússia, o que Washington chama de uma tentativa de desestabilizar a Ucrânia.

À imprensa, o presidente americano afirmou que discutiu com o líder ucraniano um plano para restaurar a paz no país, impulsionar o crescimento econômico e reduzir a dependência energética da Rússia. "Na conversa ficou claro que ele entende as esperanças e aspirações do povo ucraniano", disse Obama.

O presidente dos EUA ainda convocou outros países a apoiar Poroshenko e seu novo governo, inclusive ajudando no treinamento de policiais e militares. Para ele, a comunidade internacional deve pressionar a Rússia para que esta deixe de apoiar os separatistas no leste da Ucrânia.

O presidente dos Estados Unidos havia anunciado, nesta terça-feira, que pretende aumentar o apoio militar americano ao leste da Europa, por meio de um plano de segurança orçado em cerca de 1 bilhão de dólares.

Poroshenko agradeceu a solidariedade vinda do Ocidente. "Nós vemos que, neste momento, o mundo inteiro está do nosso lado. O agressor está condenado ao isolamento."

A violência entre os separatistas pró-russos e as forças ucranianas continua. Ao menos seis combatentes separatistas foram mortos e 20 ficaram feridos num conflito com as tropas do governo na cidade de Lugansk, anunciaram as autoridades ucranianas nesta quarta-feira.

Da Polônia, Obama segue para Bruxelas, onde participará da cúpula dos sete países mais industrializados (G7) nestas quarta-feira e quinta-feira. Um dos temas do encontro será a política do grupo com relação à Rússia, levando em conta a crise na Ucrânia.

Na sexta-feira, o presidente americano participará na França de celebrações dos 70 anos do desembarque das tropas aliadas na Normandia, durante a Segunda Guerra Mundial, o chamado Dia D. O presidente russo, Vladimir Putin, também estará presente nas comemorações.

BWS/afp/dpa/ap/rtr

Leia mais