1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Obama promete defender Japão de ataque nuclear

Presidente dos EUA diz que poderá lançar mão de escudo nuclear para proteger o aliado da ameaça norte-coreana. Coreia do Sul apresentou novos mísseis em advertência à Coreia do Norte.

default

Barack Obama Pressekonferenz

Após o terceiro teste nuclear da Coreia do Norte, o presidente dos EUA, Barack Obama, prometeu ao Japão proteção integral contra a ameaça nuclear do país vizinho. Já a Coreia do Sul advertiu severamente a Pyongyang nesta quinta-feira (13/02), durante apresentação de novos mísseis, que podem ser usados para atingir alvos no país vizinho.

Numa conversa por telefone com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, Obama se referiu expressamente ao "guarda-chuva nuclear" dos EUA na região, como informou a Casa Branca nesta quarta-feira.

Os líderes de EUA e Japão concordaram em se empenhar, conjuntamente, nas Nações Unidas, para a aprovação de sanções mais duras contra Pyongyang. O premiê japonês é esperado em Washington para se reunir com Obama no final deste mês.

De acordo com o Ministério do Exterior do Japão, Abe telefonou também na quarta-feira com o presidente sul-coreano, Lee Myung Bak. Os dois países são os que estão geograficamente mais próximos da Coreia do Norte, e se sentem ameaçados pelo regime comunista de Pyongyang. Os EUA têm soldados estacionados tanto no Japão como na Coreia do Sul.

Japan Shinzo Abe

Primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe

Arma de precisão

Seul avisou que vai contra-atacar caso haja agressão norte-coreana. A Coreia do Sul apresentou uma nova arma e relaxou determinadas regras, permitindo que tropas na fronteira respondam fogo imediatamente, sem necessidade de permissão de autoridades militares. "O míssil de cruzeiro que está sendo apresentado hoje é uma arma de precisão guiada, que pode identificar e atingir a janela do escritório da liderança da Coreia do Norte", afirmou o porta-voz do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, Kim Min-seok.

O estacionamento da nova arma, anunciada em abril do ano passado, só foi concluído agora. As autoridades não informaram detalhes sobre o alcance do míssil, assegurando que ele pode acertar qualquer alvo no norte. O ministério da Defesa sul-coreano divulgou vídeos mostrando o foguete acertando alvos, após ser lançado de contratorpedeiros e submarinos.

Teste mais forte

A Coreia do Norte realizou na terça-feira um teste nuclear subterrâneo. O anúncio de que o país testou "uma bomba atômica menor e mais leve, mas com grande poder explosivo" fez crescer os temores de que Pyongyang esteja preparando a produção de ogivas para equipar mísseis. Analistas norte-americanos e sul-coreanos afirmaram que o último teste nuclear foi muito mais potente que os anteriores, em 2006 e 2009.

O Conselho de Segurança condenou o teste na terça-feira e acusou a Coreia do Norte de ser responsável por uma "grave violação" das resoluções da ONU. Obama prometeu na terça-feira, em seu discurso sobre o Estado da União, tomar "medidas firmes" contra a Coreia do Norte.

A Coreia do Norte repetiu na quinta-feira sua advertência de que tomará uma ação firme caso haja novas sanções.

MD/afp/rtr
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais