1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Obama diz que discurso de Netanyahu não teve "nada de novo"

Para presidente dos EUA, ao falar perante o Congresso americano, líder israelense não propôs alternativa viável para impedir que Irã obtenha armas nucleares. Palavras do premiê são alvo de crítica em Israel e Teerã.

O presidente americano, Barack Obama, declarou que o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, não falou "nada de novo" em seu

discurso perante o Congresso dos Estados Unidos

, nesta terça-feira (03/03).

"O primeiro-ministro Netanyahu não ofereceu nenhum tipo de alternativa viável que chegaria aos mesmos mecanismos verificáveis para impedir o Irã de obter uma arma nuclear", disse Obama, chamando o discurso de "teatro". "Não houve nada de novo."

Diante do Congresso americano, Netanyahu, atualmente em campanha eleitoral em seu país, disse que o

acordo em negociação

não vai impedir Teerã de obter armas nucleares, mas garantir que as obtenha.

O discurso de Netanyahu, em tom acalorado, foi um dos mais polêmicos de um líder estrangeiro perante o Congresso em anos. O convite ao israelense, feito por legisladores republicanos, foi visto como uma provocação a Obama, que tenta obter uma solução para a questão nuclear iraniana pela via diplomática.

Enquanto republicanos aplaudiram de pé o líder israelense, cerca de 50 deputados do Partido Democrata, o mesmo de Obama, ausentaram-se do plenário durante a fala de Netanyahu.

"Perto das lágrimas"

Nancy Pelosi, líder da minoria democrata na Câmara dos Representantes, declarou ter chegado "perto das lágrimas ao longo do discurso do primeiro-ministro, entristecida pelo insulto à inteligência dos Estados Unidos como parte das nações P5+1".

Estados Unidos, Reino Unido, China, França, Rússia e Alemanha tentam obter um acordo que congele o programa nuclear iraniano, em troca do fim de sanções econômicas. O secretário de Estado americano, John Kerry, está na Suíça justamente para discutir um acordo com o ministro iraniano do Exterior, Mohammad Javad Zarif.

O discurso de Netanyahu repercutiu também em Israel. "A dolorosa verdade é que, após os aplausos, Netanyahu continua sozinho, Israel permanece isolado, e as negociações com o Irã continuarão sem Israel", disse Isaac Herzog, adversário de Netanyahu nas eleições israelenses. "Isso não irá mudar a posição do governo [dos EUA], e só vai aumentar o abismo com nosso grande amigo e único aliado estratégico."

Em Teerã, a porta-voz do ministro do Exterior, Marzieh Afkham, disse que o discurso de Netanyahu foi um "espetáculo enganador" e parte de uma campanha por parte de linha-dura em Tel Aviv diante das eleições em Israel.

CA/ap/dpa

Leia mais