Obama defende tolerância religiosa no aniversário do 11 de Setembro | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 11.09.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Obama defende tolerância religiosa no aniversário do 11 de Setembro

Cerimônias em Nova York, em Washington e na Pensilvânia marcam os nove anos dos ataques terroristas. Comemorações são ofuscadas por polêmica anti-islâmica.

default

Parentes das vítimas durante comemorações em Nova York

Os Estados Unidos lembraram neste sábado (11/09) os mortos dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. Neste ano, as comemorações foram ofuscadas por um crescente sentimento anti-islâmico no país, expresso na polêmica em torno da construção de uma mesquita perto do local onde ficava o World Trade Center e na exposição midiática alcançada por um pastor que pretendia queimar o Alcorão, mas desistiu no último momento.

Cerimônias oficiais foram realizadas em Nova York, em Washington e em Shanksville, na Pensilvânia, os três locais dos ataques. O presidente Barack Obama compareceu à cerimônia realizada no Pentágono, em Washington. Obama apelou à nação para que mantenha vivos os valores e ideais que norteiam os Estados Unidos. Entre eles está a tolerância religiosa.

Gedenkfeier USA Pentagon 11. September Barack Obama

Obama no Pentágono

"Este é um dia de lembrança, um dia de reflexão e, com a bênção de Deus, um dia de união e renovação", afirmou o presidente. Em seu discurso, ele fez referências diretas ao crescente sentimento anti-islâmico no país. "Não foi uma religião que nos atacou neste dia de setembro. Foi a Al Qaeda, um grupo miserável de homens que perverte uma religião", disse Obama.

"Eles podem tentar provocar conflitos entre as nossas crenças, mas como americanos, não estamos e jamais estaremos em guerra contra o Islã. E assim como condenamos a intolerância e o extremismo no estrangeiro, respeitamos a nossa essência de país da diversidade e da tolerância", afirmou.

Gedenkfeier USA New York 11. September

Leitura dos nomes das vítimas

Em Nova York, os sinos tocaram às 8h46 no horário local. Foi nesse horário, há nove anos, que o primeiro de dois aviões atingiu as torres gêmeas do World Trade Center. Durante a cerimônia de homenagem às vítimas foram lidos os nomes de 2.752 pessoas que perderam a vida nos escombros do edifício. O vice-presidente Joe Biden participou do ato.

Já a primeira-dama Michelle Obama e sua antecessora, Laura Bush, participaram da cerimônia em Shanksville, onde caiu um dos quatro aviões sequestrados. Elas homenagearam os passageiros do voo, que se amotinaram contra os sequestradores e derrubaram o avião, impedindo que ele chegasse a Washington. Todas as pessoas a bordo morreram.

AS/dpa/lusa/afp

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados