O retrato duro e terno de Berlim nas cores de Hans Baluschek | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 27.12.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

O retrato duro e terno de Berlim nas cores de Hans Baluschek

Retrospectiva em Berlim mostra como o pintor encontrou a beleza e a poesia da cidade industrial e efervescente na virada do século 19. Além da pintura, mostra também revela as ilustrações do artista.

default

"Eisenwalzwerk", de Baluschek

Trabalhadores, fábricas, crianças, adultos e uma vida difícil são os temas pintados pelo alemão Hans Baluschek, que ganha ampla retrospectiva no Museu Bröhan, em Berlim. Suas pinturas e ilustrações captavam o cotidiano e a vida de pessoas normais em seus momentos de trabalho, descanso e lazer.

Baluschek retratou a virada do século 19 para o 20 na capital alemã com uma perspectiva cotidiana. As telas do alemão são um retrato das consequências e da realidade da migração de trabalhadores para as áreas urbanas depois do boom industrial nas grandes cidades.

Secessão de Berlim

Bilderbuch des Berliner Lebens Der Maler Hans Baluschek

"Montagmorgen": retrato terno de um cotidiano duro

Filho de um engenheiro ferroviário, Baluschek nasceu em 1870 em Breslau, cidade polonesa que então pertencia ao Império Alemão. Em 1889 ele se mudou para Berlim e ingressou na Academia de Artes, iniciando a sua carreira de pintor e ilustrador.

Baluscheck foi um dos primeiros membros da Secessão de Berlim, uma união de artistas fundada em 1899 como resposta à Associação de Artistas de Berlim, grupo de caráter conservador dirigido pelo estado. A Secessão de Berlim se voltava à arte moderna e a movimentos como o Impressionismo e incluia artistas como Max Beckmann e Ernst Barlach.

Bilderbuch des Berliner Lebens Der Maler Hans Baluschek

"Tingeltangel": luzes e cores de Berlim na virada do século

O foco da exposição "Bilderbuch des Berliner Lebens – Der Maler Hans Baluschek (1870-1935)" (livro de imagens da vida em Berlim – o pintor Hans Baluschek, na tradução livre do alemão) são 40 trabalhos da fase inicial do pintor, além de alguns retratos familiares. O trabalho de ilustração de Baluscheck também está presente, desde um caderno com desenhos de sua época de estudante até pôsteres de teatro e ilustrações para contos de fadas. Ele ilustrou o Peterchens Mondfahrt (a viagem lunar de Peter) de Gerd vom Basewitz, livro até hoje popular entre as crianças alemãs.

Alma e luz

Como nenhum outro artistas do período, Baluschek capturou o espírito de seu tempo e as tensões sociais da Era Guilhermina. Seus quadros desvendam o charme não usual da cidade, da industrialização e da tecnologia.

Bilderbuch des Berliner Lebens Der Maler Hans Baluschek

Foto de Hans Baluschek no seu atelier, em 1920

Sua arte tem uma grande amplitude, abordando questões críticas, como as dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores em Winterwind, ou representações realistas de imagens urbanas e industriais, como no impressionante Eisenwalzwerk, que retrata poeticamente o interior de uma fábrica.

Em seu motivos, o pintor encontra o proletariado na grande Berlim. As posições estéticas e filosóficas evidenciam a dependência do homem daquele ambiente. Baluschek busca o humano em cada um dos rostos da massa industrializada por ele retratada. São figuras anônimas tornadas homogêneas pelo meio em que vivem.

Um dos pontos mais interessantes é o retrato do povo em seu momento de descanso, durante ou após o trabalho. Nesses quadros, Baluschek mostra toda sua ternura e respeito por rostos duros e muitas vezes tristes, que buscam um pouco de conforto fumando um cigarro. Esse contraste entre o azul e o incandescer do fogo e das luzes é uma constante no trabalho do pintor, criando um universo de esperança num mundo cheio de dificuldades.

Bilderbuch des Berliner Lebens Der Maler Hans Baluschek

Berliner Rummelplatz: o artista mostrou uma cidade em transformação

Em Zukunft (futuro) um dos últimos quadros da mostra, o lado otimista de Baluschek fica evidente no retrato de um pai, de uma mãe grávida e de uma criança, tendo ao fundo uma fábrica iluminada. Assim como o artista que acreditava na modernidade da arte, os trabalhadores no quadro olham para o futuro com olhos e mentes abertos e cheios de esperança.

Para completar a ambientação do fascinante trabalho de Baluschek, a exposição acontece no Museu Bröhan, especializado em Art Nouveau, Art Deco e Funcionalismo. As obras são dispostas em amplas salas, ao lado de móveis e objetos de decoração e arte do período, num charmoso prédio no bairro de Charlottenburg.

"Bilderbuch des Berliner Lebens – Der Maler Hans Baluschek (1870-1935)" fica em cartaz até o dia 15 de abril de 2012.

Autor: Marco Sanchez
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais