1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

O recomeço de uma cidade devastada por duas enchentes

Depois de ser fortemente atingida pela "enchente do século", em 2002, Grimma, na Saxônia, volta a ser inundada. Nas ruas cheias de lama e escombros, os moradores precisam, mais uma vez, recomeçar.

"Em muitas casas felizmente a água só chegou até o pescoço. Ficou a três centímetros do parapeito da janela", disse o prefeito Matthias Berger, tentando olhar o lado positivo da situação. Ele estava no primeiro grupo a avaliar os danos da enchente no centro histórico de Grimma. A cidade ainda está interditada e sem energia elétrica. Os moradores precisam esperar pela liberação antes de poderem voltar para casa. As ruas estão tomadas por escombros, e a lama se espalhou por toda parte. A enchente deixou por aqui o que arrancou de outras regiões. A ponte pênsil sobre o Rio Mulde está coberta por detritos. Sacos de areia ainda protegem a frente das casas.

Pelo menos as inundações causaram menos destruição do que há 11 anos. Em 2002, o Rio Mulde varreu do mapa ruas inteiras. Na ocasião, a pacata cidade de 30 mil habitantes foi a mais afetada da região, no leste da Alemanha. As imagens das casas destruídas rodaram o mundo. Com a ajuda de doações, os habitantes reconstruíram as casas e o belo centro histórico da cidade.

Hochwasser Grimma Deutschland

Grimma começa a limpar suas ruas após a inundação

Menos trágico que em 2002

O centro histórico foi, mais uma vez, a área mais afetada, pois está localizado na zona mais baixa da cidade, diretamente às margens do Rio Mulde. "Algumas ruas desapareceram parcialmente, mas foram apenas problemas pontuais", comentou o prefeito sobre a destruição. Apesar de estarem cobertas por uma camada de lama, as ruas da cidade parecem não ter sofrido grandes danos. A enxurrada transformou o lago do parque da cidade em uma enorme lagoa marrom. Não longe dali, o quartel dos bombeiros se tornou o alojamento de emergência do prefeito e da administração pública, já que a prefeitura está debaixo d'água.

"Provavelmente devido ao material das novas construções e ao nível da água mais baixo os danos não foram tão grandes quanto em 2002", comparou Berger. Desta vez, a água não chegou à cidade com violência, o nível do rio foi subindo gradualmente. Para os moradores, no entanto, isso foi o pior. "A enchente consumiu mais porque durou mais tempo", disse Ines Boden. Ela trabalha em uma padaria e conhece muita gente na cidade.

Boa parte dos danos não pode ser vista do lado de fora. Muitos porões ainda estão inundados, assim como casas e lojas no andar térreo. Passados 11 anos, muitas casas precisam novamente ser completamente reformadas.

Hochwasser Grimma Deutschland

A ponte pênsil da cidade ainda está interditada

Barreiras de proteção teriam retido a água

"Uma enchente, como a que enfrentamos agora, não afetaria Grimma se tivéssemos um sistema de proteção contra inundações", afirmou o prefeito. Um muro deveria ter protegido o centro histórico da cidade. Ele está sendo construído desde 2007, mas, segundo as previsões, só deve ser concluído em quatro anos.

"Precisamos de muita força, mas colocaremos tudo de volta no lugar", disse Ines Boden. Para muitos moradores, essa é a segunda vez que as casas são inundadas. Talvez seja por isso que as pessoas em Grimma parecem calmas, apesar da situação dramática. Eles esperam pacientemente suas casas serem liberadas para poderem colocar os móveis encharcados para secar nas ruas. A reconstrução ainda vai levar um bom tempo.

Leia mais