1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

O PAPA NO BRASIL

A visita do Papa ao Brasil recebeu atenção especial dos nossos leitores esta semana, mas diversos outros temas foram ainda abordados. Vale a pena dar uma lida!

default

Papa Bento 16 no papamóvel em São Paulo

O Papa deixou nos brasileiros uma impressão positiva, pois a sua simpatia, sem estrelismo e com humildade, enalteceu o principal que foi falar o nosso idioma, quase sem sotaque estrangeiro. Nos dias que antecederam sua visita, a pergunta que nós faziamos: o papa falará em qual idioma e será que ele é arrogante conforme o ex-frei Boff sempre falou. Se não teve 2 milhões de fiéis na missa de canonização do Santo Frei Galvão, é porque ela foi rezada em ambiente aberto e no dia anterior chovia muito em São Paulo. O povo receava de enfrentar outro toró. O papa deixou uma excelente impressão em todos nós. Quanto à perda de fiéis católicos, fluem aqueles que dizem: sou católico, mas sem qualquer comprometimento com a religião. Os católicos comprometidos estão firmes na Igreja de Jesus, erguida sobre a pedra, há dois mil anos, que tem como sucessor-pastor Pedro Bento 16.
Geraldo Angelo Abelha

Na minha opinião, o papa Bento não reuniu multidões, porque foram dois grandes eventos, em São Paulo e em Aparecida, além de que todos os canais de TV transmitiram a visita. Eu mesmo estive mais perto do papa estando em casa do que em Aparecida.

Egilson da Silva Pereira

Sobre a reportagem da Deutsche Welle de que a Igreja Católica tenha perdido o bonde para as seitas evangélicas, isso não ocorre de fato. O que ocorre é que, no Brasil, a Igreja Católica deixou de ensinar após o Concilio Vaticano 2º. Eu somente vou à igreja hoje para comungar. Não há mais o professor que assistia à missa. Os padres esquerdistas desobedecem a doutrina do papa. A religião católica baixou o nível. Não há mais o canto gregoriano e os católicos viraram liberais. Resultado: os fiéis saem da Igreja e vão procurar religiões mais conservadoras, onde são obrigados a castidade, a caridade e os bons costumes. Se os padres obedecessem o papa João Paulo 2º, Bento 16 não precisaria retornar ao Brasil dizendo as mesmas palavras que seu antecessor e a Igreja voltaria a ter mais fiéis que praticam a fidelidade. (...)

Lucas Januszkiewicz Coletta

Sou católico e sou a favor da postura conservadora do papa Bento 16, pois o catolicismo está virando, nos tempos de hoje, não uma religião mas uma tradição que é passada de pai para filho quase como uma obrigação. Então surgiu a expressão "católico não praticante" e "católico praticante". Isso é uma grande bobagem. Se você não pratica o catolicismo, você não é católico. Melhor que tenha um único cotólico, mas ciente de sua religião, do que uma massa de incrédulos.

Richard Warken

É a repetição da velha história do "pão e circo" (no caso, circo). O circo desvia a atenção do povo de seus problemas diários, de suas reais prioridades. Aí os políticos nadam de braçada na consecução de seus desmandos, haja vista que os parlamentares brasileiros já aumentaram seus polpudos salários aproveitando o clima da enorme alienação eufórica em que se encontra a maioria da população brasileira.

Vivaldo

Todos sabem o motivo, mas é temporário. Eu acho um desperdicio pois ele (o papa) come a melhor comida, dorme no melhor travesseiro, usa a segurança toda enquanto o brasileiro fica abandonado. Não sou contra a vinda do líder católico ao Brasil, mas que o Vaticano pague pelo passeio dele. É vergonhoso num país pobre.

Maui

UE ESGOTA ESTOQUE PESQUEIRO DA ÁFRICA OCIDENTAL

É uma tristeza muito grande constatar que quando se trata de África é sempre a mesma coisa: pseudo-ajuda e injustiça para todo lado. Tirar de quem já não tem é muito grave. Nações com histórico de explorar povos que não têm como se defender, já vimos acontecer por aqui mesmo em nosso país, mas isto foi em tempos em que nem se falava em direitos humanos. Países ricos se reunindo para tentar solucionar essas questões e tantas outras maneiras que hoje vemos falar que existem, mas funcionar que é bom nem pensar. O que fazer então? Até quando iremos ver notícias deste tipo? Por isto mesmo é que vivem a fugir de seus países esses pobres coitados que, além de não terem muito, ainda vêem aqueles que lhes tiram o alimento e também seu direito ao trabalho digno através da pesca. É totalmente injusto o procedimento destes países ditos civilizados. Já pensaram se vira moda pegarmos o que não temos na casa do vizinho e, ainda pior se esse vizinho for menos favorecido do que nós mesmos. Por isso me pergunto: até quando?

Maria Aparecida Neubaner Luiz

ELEIÇÕES NA FRANÇA

O resultado na França foi ótimo, pois quebrou a onda socialista que tomou conta do mundo, principalmente na América do Sul, que tenta resgatar o modelo marxista retrógrado e ineficiente para o século 21. Infelizmente o Brasil também está neste grupo, e tenho a certeza de que ainda pagaremos muito caro por esse falso desenvolvimento que o Brasil apresenta.

Keli Racho

O presidente francês conduziu a nação de forma firme e contribuiu para manter a bipolaridade global contrariando os americanos na questão das armas de destruição em massa do Iraque. Não merece nota baixa.

Wilando Kurth

VENDA DA CHRYSLER

Estou decepcionado com o desfecho da venda da Chrysler pela Daimler. Uma triste verdade: a Daimler tem uma péssima administração. Exemplo de empresas que não deram certo no grupo Daimler: Fokker, fabrica de carros no Brasil, EADS. Um revés para a imagem da Daimler.

Luiz Fernando Morello Hax

EXCLUSÃO SOCIAL NO BRASIL

Nunca no Brasil se viu tanta disparidade social como nos dias de hoje e com um empobrecimento da própria classe média tão violento. Com as políticas sociais brasileiras fica quase impossível ver uma melhora na real qualidade de vida da grande maioria pobre do país, já que a maioria, se não todas, são assistencialistas. A falta de incentivo à educação também é uma das causas dessa exclusão social tão violenta. No Brasil, é muito fácil ligar a televisão e assistir a um programa onde o futebol está como uma alternativa para sair da miséria, mas não é tão fácil encontrar um programa incentivando a educação. E finalmente respondendo a pergunta: Não, eu não vejo uma luz no fim do túnel para o Brasil, não com os atuais governantes e suas políticas, não com a cultura brasileira de dar um jeitinho em tudo.

Guilherme Tácito de Luna

FORÇAS ARMADAS ALEMÃS SOFREM FALTA DE PESSOAL

Acho que seria de se esperar uma situação assim, principalmente porque o serviço militar pode ser substituído por serviços à comunidade ao que me consta e, por outro lado, de um modo geral, a baixa estima dos alemães pela Alemanha, fato que só pareceu melhorar um pouco durante a última Copa do Mundo. Como faltam jovens, por que não se oferece a cidadania a jovens de outros países, que, a exemplo dos EUA, sirvam o exército por alguns anos?

José Luiz Altilio Raccah

INTERCÂMBIO ACADÊMICO NO EXTERIOR

É importante para o profissional, para a nação que o envia e o mais importante para a nação que o recebe. O intercâmbo sempre é visto como uma busca de aperfeiçoamento no exterior, mas é muito mais que isso. É um aprendizado de vida através do convívio diário com todos. Acredito que quem mais ganhe com isso é a nação que recebe o profissional em intercâmbio, pois as pessoas que convivem com este aprendem a conviver com as diferenças culturais e ter possibilidade de absorver visões de mundo diferentes, conhecer outras perspectivas técnicas/científicas. Desta forma poderão colocar estas idéias, culturas e novos conceitos em prática, em inovações, em produtos, processos e serviços.

Leandro André Hoerlle

Leia mais