1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

O DIA "D"

Os 40 anos do desembarque das tropas aliadas na Normandia, Kant, Kafka, indústria armamentista, mudanças climáticas e países emergentes são os temas de nossos usuários esta semana.

default

Veteranos da Segunda Guerra na cerimônia em Caen

Acredito que a presença de Gerhard Schröder nas comemorações dos 60 anos da invasão na praia da Normandia é uma ação concreta de compromisso com a União Européia. Ele mesmo, como pessoa testemunha dos fatos, sabe dos horrores de ter visto o seu país como a causa de tanto desatino. Hoje, líder de uma nação, encarna esse compromisso novo de ser parte de um sucesso; o sucesso de uma paz e de uma democracia verdadeira [...]. Certamente, o senhor Gerhard Schöder será muito mais do que um participante desse intuito de progresso: será o compromisso vivo de uma Alemanha justa não somente para com ela mesma, mas perante os que fazem jus a todos aqueles que pereceram para garantir a liberdade, a fraternidade e a igualdade para todos nós.
José Maurício Albuquerque Cunha

Não vejo nenhum problema no fato de um alemão participar das comemorações dos 40 anos do Dia D. Pelo contrário, penso que o convite feito a Schröder deva ser tomado com um sinal de que não há nenhum resquício de antigermanismo e do reconhecimento de que milhares de alemães tombaram igualmente mortos naquele confronto sem par na história da humanidade.
Julio Esteves (professor de Filosofia)

O dia D foi a salvação da democracia alemã. O que lamento profundamente é que não se tenha antecipado o desembarque na Normandia, o que fatalmente diminuiria a presença comunista na Europa no pós-guerra. O interessante disso tudo é que a Alemanha participou de duas guerras mundiais cujo objetivo era, primordialmente, o controle da Europa. Hoje, a Alemanha caminha para o domínio econômico da Europa em uma época de paz. Daí se vê como estava errada a estratégia alemã.
Arlan Costa Barbosa

Ainda não entendo por que, mas toda vez que o assunto é Segunda Guerra Mundial, me vem a mente o dia D, e meu sangue ferve, o coração dispara, a voz não sai, é como se eu estivesse mesmo lá, ou algo me puxasse para lá. Estou fazendo faculdade de jornalismo e fico impressionado com as fotos, tiradas neste lugar, com o sangue frio dos colegas que naquele exato momento tiveram a coragem de mostrar ao mundo aquilo de mais valioso que o ser humano possui, que são os sentimentos. Neste caso os mais diversos: ódio, amor, covardia e galhardia!
Parabéns pelo site, estes são eventos que o mundo não pode nem deve esquecer, um brinde aos valentes heróis do Dia D, e também aos nossos "pracinhas", que não estavam lá, mas deram sua contribuição em solo italiano.
Helton Costa

A minha opinião é que o chanceler alemão deve participar sim das comemorações do dia D na Normandia. Mas a memória de muitos alemães que lutaram naquela batalha e que, independentemente da doutrina nazista, lutaram bravamente por seu país e por suas vidas também deve ser lembrada.
A comemoração deve ser em respeito à memória daqueles que morreram na batalha e não para aumentar o ultranacionalismo americano que foi uma das razões da guerra, que confunde a honra alemã com nazismo e que desencadeia conflitos até os dias atuais.
André Brandt

Parabenizo o Sr. Gerhard Schröder por sua presença nas festividades na Normandia. Acho mais que correto, pois já está mais que na hora de os homens se entenderem e caminharem juntos para a tão sonhada ERA de PAZ por que tantos lutaram.
Maria Aparecida Neubauer Luiz

IMMANUEL KANT
Acho que a filosofia de Kant foi um marco na história da humanidade que não foi assimilado até hoje. Talvez devido à complexidade abstrata de sua linguagem. Pode-se assinalar a história da filosofia em a.K. e d.K. Entretanto, uma maneira relativamente fácil de entender a essência do pensamento kantiano é através da leitura das obras de Arthur Schopenhauer, outro dos maiores filósofos dentre os muitos produzidos pela Alemanha, que, infelizmente, parece estar relegado ao esquecimento, pena...
Paulo Henrique Vasconcelos

INDÚSTRIA ARMAMENTISTA
O que me angustia é que onde houver tecnologia de ponta, lá estará a indústria bélica, com os mercadores da morte à espreita. Usar a criatividade a serviço da destruição é tão corriqueiro, que cansa.
Lyndon C. Storch Jr

MUDANÇAS CLIMÁTICAS
Tenho certeza absoluta de que muitas mudanças climáticas já estão ocorrendo! Moro no Estado de Minas Gerais, que tem políticos com grande consciência ambiental, e graças a Deus, ainda não estamos sofrendo com os distúrbios climáticos que ocorrem por todo o mundo. Mas posso notar pelo Sul do meu país que o mundo está doente, muito doente! Há uns dois meses, nossos estados sulistas foram assolados por ciclones! Não existem, nunca existiram ciclones por aqui. Esse fenômeno não era sequer de conhecimento teórico para muitos dos atingidos. O Protocolo de Kyoto não está sendo cumprido pelos EUA, que é o maior poluidor mundial, disparada e declaradamente. E eles ainda querem ser "tutores da nossa Amazônia". Sem demonstrar consciência ambiental, eles não terão água dentro de pouco tempo, e não se pode beber petróleo!!
Luiz Antônio de Faria Fonseca

PAISES EMERGENTES
Considero que o Brasil pode sim, assumir a liderança entre os países emergentes. Restam alguns ajustes internos, como a seriedade na política, reformas estruturais na economia, educação e infra-estrutura. O povo é trabalhador e pacífico, e graças a sua imensa área agricultável e à diversificação do clima, o Brasil pode se impor pela capacidade de oferta de alimentos ao mundo.
Bernardo E.Schroeder Jr

FRANZ KAFKA
Sobre as obras de Kafka, gostaria de dizer que tive o grande prazer de ler (nessa ordem): Metamorfose e O Processo. Em ambos os casos fui agradavelmente surpreendido por uma leitura absolutamente diferente de tudo que lera até aquele momento e desde então passei a considerar Kafka como um dos meus autores prediletos, ao lado de alguns outros como Rilke, Huxley, Sartre, etc. Já quanto a conhecer detalhes de sua vida, devo dizer que preciso conhecer mais.
Paulo Roberto