1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

O caráter social das negociações internacionais

Embaixador do Brasil na Alemanha diz, em entrevista exclusiva à DW-WORLD, que o fim das barreiras comerciais agrícolas pode ser o caminho para a promoção de uma distribuição de renda mais justa no Brasil.

default

A Europa só permite que o Brasil exporte o café em grão, lembra Seixas Corrêa

Relações internacionais, para a maioria das pessoas, parecem uma disciplina abstrata, em que embaixadores e diplomatas negociam temas distantes do dia-a-dia do cidadão comum. Na verdade, no calor da discussão sobre os subsídios agrícolas, um fator quase sempre é esquecido pela mídia: o fim dos subsídios agrícolas pode significar uma distribuição de renda mais justa para países em desenvolvimento como o Brasil.

De acordo com o embaixador do Brasil na Alemanha, Luiz Felipe Seixas Corrêa, que chegou a Berlim depois de comandar a equipe brasileira na Organização Mundial do Comércio (OMC), em Genebra, na Suíça, uma consistente redução nos subsídios da União Européia e Estados Unidos significaria uma considerável transferência de riquezas para o Brasil.

Atualmente, segundo ele, os produtos de valor agregado que a agroindústria brasileira produz a preços competitivos são barrados pelas tarifas e restrições impostas por países desenvolvidos, especialmente na União Européia. Por isso, diz Seixas Corrêa, a união do G-20, que se mantém firme na redução drástica dos subsídios agrícolas, é fundamental para o combate à pobreza nos países em desenvolvimento.

Luiz Felipe de Seixas Corre

Luiz Felipe de Seixas Corrêa, ao lado de Gro Harlem Brundtland, em foto de 2002

Em entrevista à DW-WORLD, o embaixador, que chegou a Berlim no fim de setembro, falou também da parceria estratégica entre Brasil e Alemanha, do uso da Copa do Mundo de 2006 como uma "vitrine" comercial para o país e das perspectivas para a rodada da OMC de Hong Kong, que se inicia na terça-feira (13/12). Leia os principais trechos:

DW-WORLD: O Brasil já tem rela ções comerciais e políticas com a Alemanha. O que há para fazer para melhorar ainda mais este relacionamento?

Seixas Corrêa: Estive em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Brasília recentemente e, nas conversas com as câmaras comerciais, percebi a necessidade de se atualizar e reforçar as possibilidades de parceria entre as partes. A cooperação entre Alemanha e Brasil é grande, a relação comercial é forte e está se estendendo para vários setores estratégicos, inclusive no plano político.

Os dois países pleiteiam mudanças na ONU e fazem parte do G-4 [grupo que negocia assentos permanentes no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas]. Essa cooperação está se fortalecendo, estendendo-se também para a preservação do meio ambiente e ao combate à fome e à pobreza. Agora, precisamos trabalhar juntos para manter os espaços abertos.

Clique abaixo para ler sobre o Brasil na Copa do Muindo e no G-20>>>

Leia mais