O Brasil na imprensa alemã (31/05) | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 31.05.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

O Brasil na imprensa alemã (31/05)

As delações dos irmãos Batista e a convocação das Forças Armadas para conter manifestantes em Brasília foram os principais fatos em destaque na mídia na Alemanha nos últimos sete dias.

Policial dispara bomba de efeito moral contra manifestantes durante protestos em Brasília

Policial dispara bomba de efeito moral contra manifestantes durante protestos em Brasília

Die Welt – Barão da carne mergulha Brasil no caos, 29/05/2017

O empresário Joesley Batista subornou muitos políticos. Agora ele compromete o presidente. Uma democracia ameaça entrar em colapso.

[…]

Sua rápida ascensão começou ainda sob Lula. A sucessora Dilma Rousseff e o atual presidente, Michel Temer, assistiram um tanto fascinados como mais uma vez se repetia o conto de fadas de um dos vários empresários-turbo brasileiros. Dos cofres da empresa jorraram o equivalente a cerca de 140 milhões de euros para o meio político. É o mesmo modelo segundo o qual a Petrobras e a Odebrecht compraram políticos em torno de projetos de infraestrutura. Três presidentes, mais de 160 congressistas e quase 2 mil candidatos teriam se beneficiado das doações feitas por Batista em eleições. A democracia do Brasil está ameaçada, com isso, em mergulhar definitivamente no caos. Porque políticos de todos os campos embolsaram dinheiro.

Wirtschaftswoche – O grande prato de carnes, 26/05/2017

A mais importante potência econômica da América do Sul se espanta com delações em que Joesley Batista descreve como durante dez anos ele e seus dois irmãos subornaram quase 2 mil políticos e funcionários públicos com o equivalente a 400 milhões de dólares.

[…]

Agora, o caos político volta a ameaçar, como um ano atrás, quando o então vice-presidente Temer subiu ao cargo de chefe de Estado após o impeachment de Dilma Rousseff. Mas, tal como ela na época, Temer também se recusa agora a renunciar. Ele espera que a economia o sustente, porque ele encaminhou um processo liberal de reforma. Mas ele se engana. Os brasileiros estão fartos de serem enganados por sua elite.

[…]

As delações dos Batista mostram agora que pouco mudou nas práticas das empresas brasileiras – apesar de centenas de processos e altas penas de prisão contra políticos e empresários. A corrupção não é apenas uma parte do modelo de negócio no Brasil – é base de negócios através da qual empresas como o império de mineração demolido de Eike Batista ou a construtora Odebrecht puderam se tornar poderosos impérios.

Frankfurter Allgemeine Zeitung – Temer mobiliza militares contra manifestantes, 26/05/2017

O presidente brasileiro, Michel Temer, mobilizou as Forças Armadas para proteger edifícios do governo após o grave tumulto na capital, Brasília, na noite de quarta-feira. Após uma reunião de emergência de seu gabinete de segurança, Temer suspendeu o decreto, que originalmente deveria vigorar por uma semana. Na quarta-feira, manifestantes que pediam a renúncia do chefe de Estado suspeitos de corrupção incendiaram o Ministério da Agricultura e danificaram outros edifícios governamentais. Nuvens escuras de fumaça subiram sobre a Esplanada dos Ministérios, e vários ministérios tiveram de ser evacuados por causa dos tumultos.

Der Tagesspiegel – Brasília queima, 26/05/2017

"Golpista" – é assim que Temer é muitas vezes chamado. Após sua posse, ele começou a impor uma agenda neoliberal. Ele quer mudar a legislação previdenciária e trabalhista em prejuízo dos trabalhadores – pelo menos na opinião da maioria dos brasileiros. E também foi contra esta política que os manifestantes protestavam. Para muitos brasileiros, a única saída para a crise é a renúncia de Temer e novas eleições. Mas Temer não pensa nisso. Ele se disse, em uma entrevista, vítima de uma conspiração.

MD/ots